Para garantir igualdade nas pensões, é preciso ir à raiz da discriminação

Das decisões de alto nível ao impacto no nosso quotidiano, neste programa falamos sobre a Europa que Conta, no âmbito da série especial do PÚBLICO que procura saber como as decisões tomadas em Estrasburgo e Bruxelas têm impacto na vida diária dos cidadãos europeus.

Na Europa as mulheres recebem em média uma pensão de reforma cerca de 40% inferior à dos homens. Em Portugal esta disparidade está acima de 30%, um valor superior à diferença que existe no mercado laboral (cerca de 17%). Porque é que isto ainda acontece? É a pergunta da jornalista Joana Filipe à presidente da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE). Joana Rabaça Gíria explica o que tem sido feito para diminuir as diferenças entre homens e mulheres no que toca aos rendimentos ao longo da vida.

Também o eurodeputado João Pimenta Lopes, eleito pelo PCP, explica como estas disparidades estão relacionadas com a desvalorização do trabalho das mulheres. O vice-presidente da comissão do Parlamento Europeu sobre os direitos das mulheres e igualdade de género fala sobre as contradições que encontra nos debates que têm lugar em Bruxelas e Estrasburgo, que tem como resultado as mulheres continuarem desprotegidas — e com elas toda a sociedade.

Com o último plenário do Parlamento Europeu antes das eleições a rubrica Eurodeputado da semana chega ao fim. Recorde o que fizeram os eurodeputados portugueses ao longo dos últimos seis meses em publico.pt/europaqueconta. O programa A Europa que conta ainda regressa nas próximas semanas. 

Este programa teve o apoio do Parlamento Europeu. 

O PÚBLICO viajou a Bruxelas a convite do Parlamento Europeu.