LUSA/PATRICK SEEGER
Foto
LUSA/PATRICK SEEGER

Salvem o planeta como a Notre-Dame, pediu Greta Thunberg no Parlamento Europeu

A jovem activista discursou no Parlamento Europeu e pediu que os líderes europeus salvassem o mundo como vão salvar a catedral. Greta Thunberg apelou à necessidade de agir rápido, antes que os danos sejam irreversíveis: “Vamos ter que mudar para ‘modo catedral’.”

“O meu nome é Greta Thunberg, venho da Suécia e quero que entrem em pânico.” Foi, mais uma vez, assim que a activista de 16 anos deu início a uma intervenção no Parlamento Europeu, esta terça-feira, 16 de Abril. A jovem que inspirou um movimento de estudantes contra as alterações climáticas alertou os líderes europeus para a urgência de salvar o planeta, da mesma forma que se quer salvar a Catedral de Notre-Dame depois do incêndio.

“Ontem [segunda-feira], o mundo inteiro assistiu com tristeza e desespero ao fogo que assolou a Notre-Dame, em Paris. Mas a Notre-Dame vai ser reconstruída”, disse Greta, em Estrasburgo, citada pela Reuters. “Espero que [a catedral] tenha fundações fortes e espero que nós também as tenhamos, mas não tenho a certeza.” Durante o discurso de mais de dez minutos, a activista alertou para a necessidade de reverter o panorama de produção de emissão de gases poluentes e apresentou estimativas que prevêem que em 2030 “vamos estar numa posição irreversível, que irá provavelmente levar ao fim da nossa civilização como a conhecemos”. A menos que haja “mudanças em todos os aspectos da sociedade”.

Numa sala repleta de adultos, a jovem não se deixou intimidar: “Quero que ajam como se a vossa casa estivesse em chamas. Se a vossa casa estivesse a pegar fogo vocês não estariam a voar à volta do mundo em executiva”, afirmou a jovem, que viajou de Estocolmo para Estrasburgo de comboio, como sempre faz. “Vocês não organizariam três encontros de emergência para falar sobre o ‘Brexit’ e nenhum para falar das alterações climáticas.”

“A nossa casa está em chamas e ainda assim nada está a acontecer. Vamos ter que mudar para ‘modo catedral’. Peço-vos para acordarem e fazerem o que for preciso”, atirou. No final, Greta Thunberg pediu que ouvissem os milhares de jovens que estão a fazer greve às aulas por todo o mundo. Em Portugal, os estudantes saíram à rua a 15 de Março e vão voltar a fazê-lo dia 24 de Maio, juntando-se assim ao movimento internacional SchoolStrikeforClimate, iniciado pela jovem sueca, nomeada para o prémio Nobel da Paz, que todas as sextas-feiras falta às aulas como protesto pela inércia dos Governos.