Protecção Civil alerta para risco elevado de incêndios e adverte contra queimadas

Prevê-se já para este sábado uma subida gradual da temperatura até à próxima terça-feira, com valores acima do habitual para esta época do ano. Aliada ao vento e à baixa humidade, o calor implica um maior risco de incêndio em algumas zonas do país.

Foto
Rui Gaudencio

O risco de incêndios em zonas rurais vai aumentar já a partir deste sábado, altura em que se prevê uma subida gradual da temperatura máxima até à próxima terça-feira, com valores de acima do habitual para esta época do ano, alertou esta sexta-feira a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) em comunicado.

O risco representado pelo calor é intensificado pelo facto de a humidade relativa do ar (HRA) prevista ser inferior a 35% na generalidade do território do continente durante a tarde de sábado, apesar de se verificar uma fraca recuperação durante a noite. Para piorar a situação, o vento: está previsto vento do quadrante Leste, moderado a forte (até 45 km/h) durante a noite e manhã nas terras altas, em especial das regiões Centro e Sul, com possibilidade de rajadas até 65 km/h na região do Algarve.

“Este cenário meteorológico traduz-se num aumento dos índices de risco de incêndio, entre este sábado e segunda-feira com condições favoráveis à rápida propagação de incêndios, em especial na região de Lisboa e Vale do Tejo, distritos de Viseu, Aveiro, Guarda, Braga, Vila Real e Bragança, com níveis Elevado a Muito Elevado”, alerta a entidade.

Perante este cenário, a Protecção Civil recorda que a "queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, está sujeita a autorização da autarquia local, devendo esta definir o acompanhamento necessário para a sua concretização, tendo em conta o risco do período e zona em causa”. 

A ANPC determinou também o reforço e o pré-posicionamento de alguns meios de combate de incêndios como as equipas de Combate a Incêndios Rurais de Guimarães, Trancoso, Proença-a-Nova, Almeirim, Portalegre, Montijo e Estremoz e a Equipa de Análise e Uso do Fogo de Proença-a-Nova.

Existirá também um reforço de meio da Guarda Nacional Republicana por parte da Companhia de Ataque Ampliado em Vila Real e Viseu e a  "manutenção de uma equipa terrestre com capacidade de ATI em acções de patrulhamento em todos os centros de meios aéreos”, refere a entidade.

Também o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) alertou a população para uma maior probabilidade da ocorrência de incêndios, uma vez que as temperaturas vão chegar perto dos 30ºC.

Segundo o mesmo, mais de metade do território do continente encontra-se em seca moderada (38% em seca fraca e 5% em seca severa). O mês de Janeiro foi um dos mais secos dos últimos 19 anos e o país irá enfrentar no próximo Verão um novo ciclo de escassez de água se não chover nos próximos dois meses, mas as perspectivas de forte precipitação não são animadoras.

Sugerir correcção