Quatro poisos para saborear o Pico

Lugar de encanto, a ilha açoriana é um caso à parte no arquipélago. Com crescente notoriedade e o turismo a crescer, também a oferta gastronómica pula e avança.

Fotogaleria
DR
Fotogaleria
Lulas, restaurante Magma DR

Nas bocas do mundo como um dos destinos mais apetecíveis e aliciantes do planeta, o arquipélago dos Açores tem visto crescer na proporção da procura as suas estruturas de acolhimento. Um movimento de novidade e regeneração que é bem visível na restauração, que em pouco tempo viu surgir novos projectos e espaços, com conceitos de modernidade que regra geral têm sabido de forma exemplar aproveitar e potenciar os produtos e tradições da região.

Com aptidões naturais únicas, a riqueza invulgar de peixes e carnes, os seus queijos de espantar e o sabor único de frutas e legumes, o que admira mesmo é que só agora o mundo pareça estar a descobrir as maravilhas do Açores. O prestigiado New York Times acaba de sugerir o arquipélago como um dos dez sítios mais recomendáveis do planeta para visitar, e também a influente revista Forbes aponta para a região autónoma, indicando-a como o destino mais cool em todo o mundo para visitar ao longo do ano que agora está no início.

É caso para dizer que o melhor é apressarmo-nos, que vem aí a invasão americana.

Um caso muito especial é a ilha do Pico, onde o turismo emerge agora com força e qualidade e a restauração se começa a afirmar com novos e interessantes projectos. Do antigo e do moderno, eis quatro dos locais mais recomendáveis para saborear a ilha.

Restaurante Magma

Associado ao projecto Lava Homes, um empreendimento turístico de exemplar modernidade, o restaurante tem um horizonte de cortar a respiração sobre o mar e a ilha de São Jorge. E se pelas vistas e a ampla esplanada já a visita é amplamente recomendável, também os pratos de inspiração regional convidam à estadia demorada. Numa carta que ao primeiro olhar pode parecer até mais vocacionada para os petiscos de modernidade, a essência da verdadeira cozinha da ilha está nos “pratos regionais” que são propostos ao longo dos dias da semana. As “favas da festa”, secas, num guisado com cebola e pimentos, ou os “pratinhos de enchidos tradicionais”, com morcela e linguiça fritas nas próprias gorduras, cumprem de forma exemplar a função petisqueira.

Da cozinha regional, destaque para as “lulas à picarota”, num refogado denso que acompanha com aromático arroz de alecrim, e ainda a “molha de carne”, um refogado lento de carne de vaca que acompanha com batata cozida. Também os “torresmos”, temperados com alho e confitados na própria banha (ao estilo dos rojões) e que acompanham com inhame, ou a “albacora assada no forno”, são exímios exemplo da mais saborosa cozinha local.

PÚBLICO -
Foto
DR

A par dos mais representativos vinhos da região, a carta alarga-se com qualidade às restantes regiões nacionais. Mesas em madeira sem cobertura, num estilo moderno minimalista que combina com a elegante decoração, num espaço bem convidativo e abrangente que funciona também como bar.

Magma
Travessa do Outeiro das Eiras, 2A
9940-185 Terra Alta, São Roque do Pico
Tel.: 292 241 200 / 919 803 181

Ancoradouro

Pioneiro na modernidade e na aposta em valorizar os melhores produtos regionais, o Ancoradouro é não só uma referência na ilha do Pico mas também para todo o arquipélago.

Espaço construído de raiz para o efeito, beneficia também de uma ampla esplanada voltada ao mar que funciona ao longo de todo o ano graças à cobertura que a protege da chuva.

À cozinha técnica e mais elaborada com que são trabalhados os excelentes peixes e carnes dos Açores, as propostas da carta associam pratos de cozinha típica ou as chamadas especialidades regionais.

PÚBLICO -
Foto
DR

O bife de atum frito com batata-doce é exemplar – e um exemplo para o grosso da restauração local -, tal como o polvo guisado ou o caldo de peixe. O polvo dourado, em pedaços fritos com ovo, é uma das especialidade, tal como os filetes de veja, o polvo à lagareiro, a caldeirada de atum ou a cataplana com variedade de peixes locais, que mostram toda a riqueza e valia da boa cozinha local.

Também os arrozes, de polvo ou de mariscos, ou a feijoada de gambas dão mostra da qualidade da cozinha de tacho. Havendo que escolher, o “atum à portuguesa” é obrigatório. Nacos do peixe fritos em azeite com alhos até atingir um ponto de caramelização de sabor irresistível. É servido com batata cozida,

PÚBLICO -
Foto
DR

À variedade e qualidade, da cozinha e serviço, o Ancoradouro junta ainda um aliciante extra. A possibilidade de poder saborear um dos vinhos mais distintivos do Pico, os Cancela do Porco, uma pequena produção pertencente aos mesmos proprietários e que, por isso, só estão disponíveis na carta do restaurante.

Ancoradouro
Rua Rodrigo Guerra, 7
9950-302 Areia Larga, Madalena do Pico
Tel.: 292 632 490

Cella Bar

Pela localização e arrojo arquitectónico do projecto, que associa uma velha casa de pedra vulcânica a um moderna construção em madeira voltada ao mar, tem-se fartado de receber prémios e distinções e já foi considerado como o bar mais bonito do mundo. A visita é, portanto, obrigatória.

Também por aquilo que significa como modelo da nova era do turismo local, o Cella Bar funciona agora como uma espécie de sala de visitas ou espaço de recepção para as mais diversas organizações e entidades locais. No Pico, a tradição é receber amigos ou convidados nas “adegas” - rudimentares construções associadas às vinhas onde se provavam vinhos, aguardentes e licores -, pelo que o Cella Bar funciona agora como uma espécie de modernização dessa tradição.

PÚBLICO -
Foto
DR

À função de bar e sala de prova para os vinhos do Açores, junta também a vertente de petiscos e restauração. Não faltam as lapas, os pratos com conservas, os bifes de vitela e de atum, mas também hambúrgueres e propostas de comidas mais ligeiras.

Da cozinha mais elaborada, à sopa de peixe junta-se a carne estufada, o entrecosto no barbecue ou o polvo assado no forno, que funciona como a referência culinária da casa.

À mostra alargada dos vinhos do Açores, que também são comercializados, associa ainda variedade de cervejas, licores, gins e whiskies.

Cella Bar
Rua da Barca, s/n
9950-303 Madalena
Tel.: 292 623 654

Taberna O Petisca

Com o estatuto de ter sido o primeiro espaço da ilha especializado em servir petiscos regionais, a taberna instalada nas imediações da Adega Cooperativa do Pico tem sabido modernizar-se e acompanhar os tempos de evolução turística.

PÚBLICO -
Foto
DR

Num ambiente simples, com vocação de snack-bar, concentra a mais ampla e variada oferta de petiscos e cozinhados regionais, a par dos pratos do mais variado receituário nacional. Das feijoadas ao bacalhau na brasa, do lombo assado ao cozido à portuguesa, tudo se pode encontra no Petisca. E a preços sempre cómodos.

“Bons petiscos e mariscos” é o slogan da casa, onde não faltam também coisas tão regionais como os chicharros fritos com molho ferrado, torresmos de carne com inhame, molha de carne, filetes de abrótea com cebolada ou moreia frita. Mas também as lapas, cavacos, as maravilhosas cracas e a cerveja Especial, que são os símbolos gastronómicos dos Açores. E o mesmo se pode dizer do bife à regional ou da variedade de queijos. A casa faz jus ao nome e n’ O Petisca tudo se petisca.

PÚBLICO -
Foto
DR

O Petisca
Av. Padre Nunes da Rosa s/n
9955-029 Areia Larga (Madalena)
Tel. 292 622 357