PP alcança acordo com Cidadãos e Vox e chega ao poder na Andaluzia

Populares conseguiram desbloquear acordo com a extrema-direita, depois de negociações tensas. E retiram o poder na Andaluzia ao PSOE, ao fim de 36 anos.

Pablo Casado, líder do PP, (à esquerda) e Juanma Moreno
Foto
Pablo Casado, líder do PP, (à esquerda) e Juanma Moreno LUSA/ANGEL DIAZ

O Partido Popular (PP) chegou a acordo nesta quarta-feira com o Cidadãos e com o Vox para formar governo na Andaluzia e desalojar os socialistas que estavam no poder na região há 36 anos.

Na tarde desta quarta-feira, os líderes regionais do PP e do Cidadãos (ambos partidos de direita) na Andaluzia, Juanma Manuel Moreno e Juan Marín, respectivamente, reuniram-se no parlamento em Sevilha para limarem os últimos detalhes do entendimento. Daí saiu um acordo com sete pontos, entre eles o apoio dos 21 deputados do Cidadãos à investidura de Moreno como presidente da Junta da Andaluzia e do PP à nomeação de Marín como vice-presidente da região autonómica.

“Hoje é um dia histórica para a Andaluzia”, escreveu Moreno no Twitter.

Apesar do acordo alcançado entre ambos os partidos, faltava o apoio do Vox, partido de extrema-direita que conseguiu conquistar representação parlamentar pela primeira vez nas últimas eleições andaluzes, no dia 2 de Dezembro.

As negociações não começaram bem devido a uma lista com 19 exigências que o Vox apresentou em troca do seu apoio. O PP considerou-as “inaceitáveis” e apresentou uma proposta alternativa. Segundo a imprensa espanhola, houve três reuniões nas últimas 24 horas para tentar desbloquear o impasse; ficaram marcadas pela tensão.

Entre as propostas do Vox estava a revogação das leis autonómicas contra a violência de género e de protecção da comunidade LGBT e a expulsão de 52 mil imigrantes ilegais. O partido propunha também eliminar os apoios ao “feminismo supremacista”.

Logo após a reunião com o Cidadãos, os populares encontraram-se novamente com os representantes do Vox e foi alcançado o acordo que permite ao PP chegar ao poder na Andaluzia, juntamente com o Cidadãos, pela primeira vez.

O Vox acabou por abdicar das propostas relativas à extinção das leis contra a violência de género, uma das suas principais exigências. Também foi retirada a intenção de expulsar 52 mil imigrantes ilegais. Sobre este tema lê-se no acordo estabelecido entre os dois partidos: “Cumprir a legislação vigente em matéria de imigração, evitando aquelas decisões que possam favorecer o ‘efeito de chamada’ e combater as máfias que traficam pessoas.”

Mas, Javier Ortega Smith, secretário-geral do Vox, deixou o aviso: “Continuaremos, no entanto, a lutar pelas medidas que não aparecem no acordo.”

Nas eleições de Dezembro, o partido mais votado foi o PSOE, mas os socialistas registaram o seu pior resultado de sempre na região, contando com 33 deputados. Há 36 anos que o PSOE governava nesta região ininterruptamente.

O surpreendente resultado do Vox, com 12 deputados, mais os 26 eleitos pelo PP e os 21 do Cidadãos permitiram ultrapassar o número de deputados eleitos por toda a esquerda.