Uma cratera em Marte que parece uma pista de gelo

A cratera de Korolev tem 82 quilómetros de diâmetro e encontra-se no Norte de Marte, na região polar.

A cratera tem 82 quilómetros de diâmetro
Fotogaleria
A cratera tem 82 quilómetros de diâmetro ESA/DLR/FU Berlin
As imagens foram recolhidas por uma câmara da sonda <i>Mars Express</i>
Fotogaleria
As imagens foram recolhidas por uma câmara da sonda Mars Express ESA/DLR/FU Berlin
Imagem topográfica da cratera de Korolev
Fotogaleria
Imagem topográfica da cratera de Korolev ESA/DLR/FU Berlin

Esta semana, a missão Mars Express, da Agência Espacial Europeia (ESA), ofereceu-nos uma prenda: novas imagens da cratera de Korolev, como se esta fosse uma pista de gelo. Quase que parece que a Mars Express nos está a desejar um bom Natal, mas o motivo para a divulgação destas imagens é mesmo o 15.º aniversário da sonda. A 25 de Dezembro de 2003, a sonda da ESA entrou com êxito na órbita de Marte, a dois mil quilómetros da superfície do planeta vermelho.

Nomeada em homenagem ao engenheiro de foguetões Sergei Korolev, a cratera de Korolev tem 82 quilómetros de diâmetro e encontra-se nas planícies do Norte de Marte, na região polar. “É um exemplo de uma cratera marciana especialmente bem-preservada e que não está preenchida por neve mas por gelo. O seu centro tem água gelada com 1,8 quilómetros de espessura durante todo o ano”, descreve a ESA em comunicado.

PÚBLICO -
Foto
O engenheiro de foguetões ucraniano, Sergei Korolev Horyzonty Techniki 11/1966

A cratera tem sempre gelo devido a um fenómeno chamado “armadilha gelada”. Para percebermos como funciona esta armadilha, tem de se ter em conta que o solo da cratera é fundo (fica a cerca de dois quilómetros de profundidade da sua borda) e que aí há gelo, que vai actuar como uma armadilha. Isto é, o ar que está sobre esse depósito de gelo fica mais frio e afunda-se.

Por fim, é criada uma camada de ar gelado que fica mesmo por cima do gelo. É esta camada de ar gelado que faz com que o gelo permaneça estável, que não aqueça e desapareça. “O ar é um condutor de calor fraco, o que acentua este efeito e mantém a cratera de Korolev permanentemente gelada”, explica-se no comunicado.

Para se fazer cada uma destas imagens, teve de se juntar cinco imagens tiradas por uma câmara da Mars Express. Esta cratera de Marte também tem captado o interesse de outras missões. Em Abril deste ano, foram divulgadas fotos desta cratera tiradas pela sonda Exomars Trace Gas Orbiter (também da ESA).