Foi preso João de Deus, o médium famoso acusado de violar crentes

Numa semana, mais de 300 mulheres denunciaram o mais famoso curandeiro brasileiro por abusos sexuais. João de Deus foi preso este domingo, mas garante estar inocente.

Foto
João de Deus (no centro) é acusado por mais de 300 mulheres de abuso sexual LUSA/FILIPE CARDOSOS HANDOUT

O modo de actuar do médium brasileiro João de Deus era quase sempre o mesmo. Uma mulher que o procurava era deixada para o final da fila de crentes que lhe pediam um “tratamento” para o mal que sofriam. João recomendava à mulher um tratamento individual e levava-a para uma sala escura e fechada. Era então que as apalpava, lhes pedia para o masturbarem ou as violava. Sempre com a justificação de que tudo isso fazia parte do tratamento espiritual.

João de Deus, um dos mais célebres curandeiros brasileiros, era procurado pela polícia desde sábado, e foi preso esta tarde, depois de nos últimos dias o Ministério Público de Goiás ter recebido mais de 300 queixas de mulheres que o acusam de assédio sexual, incluindo violações.

Tudo começou há pouco mais de uma semana, quando 13 mulheres contaram num programa de televisão do canal Globo como foram vítimas de abuso sexual por João de Deus, durante os rituais esotéricos. O Ministério Público de Goiás criou então uma equipa especial para receber denúncias e, em poucos dias, somava 335 queixas, de dentro e fora do país.

Foto
Seguidoras do curandeiro junto ao seu centro, esta semana Adriano Machado/Reuters

Por recearem retaliações, nenhuma das vítimas revelou ainda a sua identidade, com a excepção da holandesa Zahira Lieneke Mous, uma coreógrafa que entrou em contacto com João de Deus há quatro anos para receber tratamento. No primeiro encontro que teve com o médium, a mulher disse ter sido sugestionada a masturbar-se contra a sua vontade, escreve o El País Brasil. Regressou para uma nova sessão em que se encontrou pessoalmente com João de Deus, que a levou de forma “violenta” para uma casa de banho, onde a violou.

Entre as denúncias que têm vindo a público a envolver João de Deus está a de uma das filhas do curandeiro. Dalva Teixeira contou à revista Veja que foi violada pelo pai entre os 10 e os 14 anos, também sob o pretexto de estar a fazer um tratamento espiritual. João de Deus levou a filha para o quarto, tirou-lhe a roupa e passou o pénis pelo seu corpo todo antes de a violar. Os abusos acabaram quando descobriu que a filha estava grávida de um dos funcionários que trabalhavam para si. Nessa ocasião, espancou a jovem que teve de ser hospitalizada.

O médium dos famosos

João Teixeira Faria, conhecido como João de Deus, de 76 anos, é um dos mais célebres curandeiros do Brasil, com uma legião de seguidores, dentro e fora do país, que passaram décadas a dirigir-se à pequena cidade de Abadiânia, no estado de Goiás, onde construiu em 1976 um centro de “cura espiritual”.

À Casa de Santo Inácio de Loyola (ele diz encarnar o padre jesuíta do século XVI) chegam todas as semanas milhares de pessoas, geralmente vestidas de branco, que procuram João de Deus, baseadas na crença de que este homem tem a capacidade de receber e redireccionar fluxos de energia com propriedades curativas - diz-se capaz de fazer “cirurgias espirituais”. Há vídeos na Internet e reportagens de televisão em que parece extirpar tumores do corpo de pessoas.

Apesar da revelação das denúncias, Abadiânia voltou a encher-se esta semana de multidões em camisa branca à procura da energia de João de Deus. O curandeiro faz sessões às quartas, quintas e sextas-feiras e a pequena cidade a 120 km de Brasília gira em torno dos seus poderes. O prefeito, José Aparecido Diniz, calcula que todos os meses cheguem à cidade dez mil pessoas para sessões de tratamento espiritual, quase metade estrangeiras, lotando os hotéis e pousadas, e fazendo florescer os restaurantes e lojas de artefactos religiosos.

A fama de João de Deus não parou de crescer nos últimos anos, e tornou-se numa espécie de curandeiro espiritual das celebridades. Tratou dos ex-Presidentes Lula da Silva e Dilma Rousseff, juízes do Supremo Tribunal e vários apresentadores de televisão. Ganhou também notoriedade internacional, conhecido como “John of God”, especialmente depois de participar no programa de Oprah Winfrey, nos Estados Unidos.

Ao mesmo tempo, foi construindo uma fortuna e um império de influência. As sessões são gratuitas, mas é na venda de vários produtos nas lojas do centro de cura que o curandeiro faz lucro. A maioria dos remédios que prescreve é feito à base de passiflora, a flor do maracujá, e uma embalagem de 180 cápsulas custa 50 reais (11 euros), de acordo com a Veja.

João de Deus apareceu em público pela última vez na quarta-feira, quando fez uma curta declaração em que garantiu estar inocente e preparado para colaborar com a justiça. No entanto, no mesmo dia, o curandeiro levantou 35 milhões de reais (oito milhões de euros) das suas contas, o que levou o Ministério Público de Goiás a emitir um mandado de prisão preventiva para evitar a fuga. João de Deus foi preso na tarde deste domingo perto da cidade que ajudou a popularizar.

Em Abadiânia, os fiéis mantêm a confiança no seu guru. Para os que acreditam nele, , não é o homem que importa, mas sim a energia que transmite, como justificava ao portal UOL a mexicana Alejandra: “Tudo o que eu posso fazer com o homem é perdoá-lo. Que homem não erra?”

Texto reeditado a 17 de Dezembro