Governo aprova expansão dos metros de Lisboa e do Porto. Obras arrancam nos próximos meses

O Governo aprovou nesta quinta-feira em Conselho de Ministros o financiamento da construção do alargamento das linhas de metro de Lisboa e do Porto. Obras arrancam no próximo semestre.

Foto
As alterações irão incluir a construção de uma nova linha entre a Casa da Música e São Bento Paulo Pimenta

A expansão da rede dos metros de Lisboa e Porto foi aprovada nesta quinta-feira, 13 de Dezembro, pelo Conselho de Ministros. Em comunicado, o gabinete do Ministério do Ambiente, que tutela o sector, afirma que "os trabalhos terão início no primeiro semestre de 2019, prevendo-se a sua conclusão em 2023". O custo previsto para as duas expansões é de 517 milhões de euros, dos quais 190 milhões de euros serão fundos comunitários.

De acordo com o projecto agora aprovado, a Linha Amarela do metro de Lisboa passará a ter início em Telheiras e a finalizar em Odivelas. Já a Linha Verde passará a ser circular, abrangendo estações como Cais do Sodré, Arroios, Picoas e Rato, além das duas novas estações anunciadas - Estrela e Santos. Haverá ainda uma alteração na zona do Campo Grande, com a edificação de dois viadutos e ligação da Linha Amarela à Linha Verde.

Quanto ao metro do Porto, as alterações irão incluir a construção de uma nova linha (Linha Rosa) entre a Casa da Música e São Bento, numa extensão de 2,8 quilómetros e com quatro novas estações subterrâneas (Casa da Música, Galiza, Hospital de Santo António e São Bento).

PÚBLICO -
Aumentar

A empreitada contempla também a expansão da Linha Amarela, entre Santo Ovídeo e Vila d’Este, com um troço de 3,2 quilómetros e três novas estações (Manuel Leão, Hospital Santos Silva e Vila d’Este), bem como a construção de um Parque de Material e Oficina, em Vila D’Este.

O custo total das obras no Metro de Lisboa ascende aos 210 milhões de euros, dos quais 83 milhões de euros são comparticipados pelos fundos comunitários (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos — PO SEUR).

Já as alterações no Metro do Porto terão um custo superior a 307 milhões de euros, comparticipados em 107 milhões de euros dos mesmos fundos comunitários.

Sugerir correcção