Livro de Imagem, o novo Godard, na rentrée da Cinemateca

Depois da estreia nacional do filme que competiu este ano em Cannes, serão também anunciados os planos para a celebração dos 70 anos da instituição da Rua Barata Salgueiro, em Lisboa.

Foto
A apresentação do filme em Cannes REGIS DUVIGNAU/ REUTERS

A Cinemateca Portuguesa abriu em 1948, pelo que este ano se assinalam as sete décadas de funcionamento. O anúncio público das actividades que marcarão a celebração far-se-á após a sessão de reabertura da instituição, que tradicionalmente fecha durante Agosto. Mesmo antes, uma antestreia portuguesa de um filme que ainda poucos viram fora de festivais: Livro de Imagem, o mais recente trabalho de Jean-Luc Godard. A sessão será no sábado, dia 1 de Setembro, às 21h30. Os bilhetes já estão à venda. 

O filme estreou-se em Maio no Festival de Cannes, onde fez parte da selecção oficial da competição e recebeu a “Palma de Ouro especial”, a primeira vez que tal aconteceu na mostra de cinema francesa. É o sucessor de Adeus à Linguagem, de 2014, mais um filme-ensaio do francês que aos 87 anos continua a trabalhar. Feito de imagens alteradas, tiradas de várias fontes, entre filmes, fotografias e arquivos, textos, tudo sem actores e com narração do próprio realizador, fala do mundo árabe e do mundo ocidental e de violência e tenta tomar o pulso ao mundo de hoje.

Em Setembro na Cinemateca vai haver ainda espaço para o início de uma retrospectiva de Jean-Marie Straub e Danièle Huillet, a presença de Bernard Eisenschitz, o centenário de Rita Hayworth, homenagens a Miloš Forman, Ermanno Olmi, Nelson Pereira dos Santos, Joana Pimentel e António Loja Neves, bem como passagens dos festivais MOTELX e Queer Lisboa, sessões de cinema ao ar livre e o lançamento do primeiro volume de Escritos sobre cinema de João Bénard da Costa.