Trump tem "expectativas baixas" para a cimeira com Putin

Presidente vai olhar Putin nos olhos e perguntar-lhe sobre a pirataria informática e os 12 russos acusados, disse Bolton. O Presidente dos EUA também disse que a UE é um "inimigo", devido ao comércio.

Foto
Manifestação pela democracia neste domingo em Helsínquia Reuters

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que tem "expectativas baixas" para a cimeira com Vladimir Putin, que tem lugar segunda-feira na capital da Finlândia, Helsínquia.

Em declarações à CBS, Trump disse que do encontro não sairá "nada de mal" e que "até pode sair algum bem".

Na sexta-feira, o procurador especial que investiga a suspeita de interferência russa nas eleições presidenciais de 2016, que deram a vitória a Trump, acusou 12 russos membros dos serviços secretos por pirataria informática ao Partido Democrata, da candidata Hillary Clinton. Trump disse ainda não ter decidido como vai abordar a questão com o Presidente russo.

Questionado sobre se vai pedir a extradição dos 12 espiões, para serem julgados nos EUA, respondeu: "Ainda não pensei".

Rússia e Estados Unidos não têm acordo de extradição. 

Na Rússia, e de acordo com as fontes oficiais, este encontro é visto como um veículo para melhorar as relações entre os dois países. 

Numa entrevista à ABC, o influente conselheiro de Segurança Nacional John Bolton disse "ser difícil de acreditar" que Putin não soubesse da pirataria. "Um dos objectivos deste encontro é esse, é o Presidente olhar nos olhos o Presidente Putin e perguntar-lhe por isto", disse.

Trump, explicou Bolton, vai ouvir a resposta de Putin. "E logo vemos o que acontece a partir daí".

União Europeia é inimigo

Na mesma entrevista, e questionado pelos inimigos dos Estados Unidos, disse que a Rússia "é um inimigo em certos aspectos" e que a China também o é "economicamente". "Mas isso não significa que sejam maus, significa que são competitivos".

"Temos muitos inimigos. Creio que a União Europeia é um inimigo, pelo que nos fazem com o comércio. Nunca pensaram nisso sobre a UE, mas é um rival".