Presidente demissionário deixou ADSE na quarta-feira

Liberato Baptista demitiu-se a 30 de Abril, mas manteve-se no cargo a pedido do ministro da Saúde. Depois das buscas no início da semana à ADSE, pediu para sair na quarta-feira.

Adalberto Campos Fernandes, Portugal
Foto
Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde, pediu ao presidente demissionário para se manter no cargo, mas este concluiu que não tem condições LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

O presidente demissionário da ADSE (assistência na doença dos funcionários e aposentados do Estado), Carlos Liberato Baptista, pediu ao Governo para deixar o cargo com efeitos desde quarta-feira. A decisão foi transmitida por Liberato Baptista aos trabalhadores através de um email e surge na sequência de uma investigação que, na segunda-feira, levou a Polícia Judiciária a fazer buscas no instituto que gere a ADSE.

Liberato Baptista apresentou a demissão a 30 de Abril por causa do seu alegado envolvimento num processo relacionado com a sua passagem pela Associação de Cuidados de Saúde da Portugal Telecom. Mas manteve-se no cargo até agora a pedido do ministro do Saúde.

No email enviado aos trabalhadores da ADSE, o presidente demissionário explica que não tem condições para continuar a assegurar o lugar até que o Governo nomeie o seu substituto. 

“Atentos os factos mais recentes, não consigo manter a minha disponibilidade pessoal para continuar a exercer as funções de presidente do conselho directivo da ADSE, pelo que solicitei ao senhor ministro que fosse autorizada que a minha renúncia ao cargo tenha efeitos ao dia de hoje, 4 de Julho de 2018”, justifica.

Tal como o PÚBLICO noticiou, o Governo prepara-se para nomear o novo presidente do conselho directivo da ADSE na próxima semana.

A indicação de que a nomeação está para breve surge numa nota enviada pelo presidente do Conselho Geral e de Supervisão (CGS) da ADSE, João Proença, aos conselheiros a informá-los do adiamento de uma reunião que estava agendada para a próxima semana.

Nessa nota, Proença afirma que tem a informação de que a nomeação está prevista para o Conselho de Ministros de 12 de Julho.