Condenado a 24 anos homem que matou professor do Ensino Secundário no Algarve

Os factos remontam a 28 de Fevereiro de 2017, quando o arguido, de 31 anos, se encontrou com a vítima, com quem mantinha uma relação próxima, matando-a a golpe de navalha e ocultando de seguida o corpo.

,
Foto
Pedro Inácio (arquivo)

O Tribunal de Portimão condenou na terça-feira um homem, que residia em Lagoa, no Algarve, na pena única de 24 anos de prisão, por homicídio qualificado de um professor com quem mantinha uma relação próxima, foi divulgado nesta quinta-feira.

Segundo adiantou o Ministério Público de Faro em comunicado, os factos remontam a 28 de Fevereiro de 2017, dia em que o arguido, de 31 anos, se encontrou com a vítima na zona de Lagoa, matando-a a golpe de navalha e ocultando de seguida o corpo.

O homem levou depois o automóvel do professor do Ensino Secundário e falsificou uma declaração de venda, registando o veículo em seu nome, crimes pelos quais também foi condenado em tribunal, lê-se na nota.

O arguido tinha sido detido e apresentado a primeiro interrogatório judicial em 10 de Março de 2017, mas o juiz de instrução não determinou a sua prisão preventiva, o que foi objecto de recurso por parte do Ministério Público.

O Tribunal da Relação de Évora deu razão ao Ministério Público e aplicou ao arguido a medida de prisão preventiva, situação em que se encontra desde 26 de Abril de 2018.

Além do crime de homicídio qualificado, o homem foi também condenado por furto qualificado e falsificação de documento, numa pena única de 24 anos.

A investigação foi dirigida pelo Ministério Público da secção de Portimão do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Faro, com a coadjuvação da directoria de Portimão da Polícia Judiciária.

A acusação foi sustentada em julgamento pelo MP do Juízo Central Criminal de Portimão.