Tábua

Começa a Tábua de Leituras. E não se faz só de livros, também há passeios

Durante três dias, a Biblioteca João Brandão volta a convidar a comunidade a ler o mundo. No campo e na esplanada.

Percursos de leitura e de natureza animam a Tábua de Leituras
Foto
Percursos de leitura e de natureza animam a Tábua de Leituras DR

Entre espectáculos, exposições, conversas e oficinas, os percursos têm sempre que ver com leitura. E não apenas de livros. Ana Paula Neves, directora da Biblioteca Municipal João Brandão, em Tábua, diz ao PÚBLICO que quer valorizar nesta edição os caminhos de leitura ligados à natureza: “Perceber como ela se renova.”

E recorda como o concelho de Tábua foi um dos mais atingidos pelos fogos em Outubro do ano passado. “Nós, humanos, não temos essa capacidade de nos renovarmos. O fogo andou aqui à volta da minha casa e quando falo nisso ainda se me embarga a voz.” Depois, conclui: “Agora, olho à volta da minha casa e já está tudo verde. É essencialmente sobre isto que eu gostava de falar. Esta descoberta de renovação para quem quiser ir conhecer estes trilhos.”

Assim, todas as manhãs do encontro (que dura até sexta-feira, dia 8), há passeios pela região, às 9h (Trilho dos Gaios, Vila Romana/Pedra da Sé, Penedo que Abana).

PÚBLICO -
Foto
Em todas as manhãs do encontro há percursos da Natureza DR

As outras leituras estão programadas para a Biblioteca João Brandão, com visitas de escolas durante o dia e leituras de contadores de histórias à noite, e para as esplanadas Sarah Garden Café (16h, dia 6, sobre Sarah Beirão, com Fátima Pais), Pastelaria Braspordoce (16h, dia 7, sobre Camilo Pessanha, com Alberto Péssimo) e Noctívago Bar (16h, dia 8, sobre João Brandão, com José Pratas e António Nunes).

Também estão previstas manhãs e tardes com os mais velhos, nos centros de dia do concelho, com a participação da contadora de histórias Cristina Taquelim.

A bibliotecária quer destacar a mesa-redonda que acontece nesta quinta-feira às 21h30 na biblioteca, em que os convidados irão iniciar a noite com “um minuto de leitura”, antes de se reunirem no debate “Ser feliz a ler…”. Intervenientes: Luís Santos (subdirector da Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas), Manuela Pargana (coordenadora da Rede de Bibliotecas Escolares) e Ricardo Mota, moderados por Teresa Rua.

Dez anos, oito edições

Embora seja a oitava edição, a Tábua de Leituras comemora este ano o décimo aniversário, porque a partir de certa altura decidiram que a periodicidade de dois em dois anos facilitaria a inovação e a diversidade.

PÚBLICO -
Foto
As Conversas de Esplanada são sempre muito participadas pela comunidade DR

A organização continua a convidar a comunidade a conhecer e frequentar a biblioteca, mesmo que não seja para requisitar livros. “Está-se lá bem, é uma casa toda em granito, que foi bem reconstruída e é toda modernaça por dentro”, descreve a bibliotecária. A directora recorda que a aprendizagem para este evento veio das Palavras Andarilhas de Beja: “Foi a nossa universidade, foi ali que olhámos para a leitura pública de outra maneira. Trouxemos isso para a nossa Beira Alta, modificando o que fazíamos sempre, só com a feira do livro.”

Lembra ainda que a designer brasileira Rê Fernandes, entretanto falecida, os ajudou muito na concepção do encontro, pelo que este ano escolheram homenageá-la, expondo os seus trabalhos na Biblioteca João Brandão e contando com a presença das filhas da artista.

Também valorizou o contributo de Maurício Leite, o “homem da mala azul”, que durante o ano de 2007 rumou a Tábua todos os meses para dar formação à equipa que organiza o encontro. Nesta edição também lá está. Entre várias actividades, irá orientar as oficinas de leitura para jovens com o expressivo título “Já não somos mais crianças”.

PÚBLICO -
Foto
O brasileiro Maurício Leite vai orientar oficinas para jovens sob o mote “Já não somos mais crianças” Vera Moutinho