Peixes gordos são bons para o coração, dizem médicos norte-americanos

Fast food, Comida
Foto
Caroline Attwood/Unsplash

O salmão, a cavalo, o atum, o arenque, em suma, os peixes gordos devem ser comidos, pelo menos, duas vezes por semana, recomenda a Associação Americana do Coração, dizendo que esta opção é uma boa maneira de reduzir o risco de ataques cardíacos e derrames cerebrais.

Mas, atenção, a ideia não é comê-los fritos, alerta a associação de médicos. Para as pessoas que tendem a seguir uma "típica dieta ocidental" – com muita carne, batatas e frutas, verduras e grãos integrais – essas recomendações devem servir como lembrete de que é hora de começar a comer mais peixe, declara Eric Rimm, principal autor da pesquisa da escola de saúde pública de Harvard TH Chan, em Boston.

“Não esperamos que as dietas de todos os americanos mudem da noite para o dia, mas esperamos que as pessoas considerem um pouco mais a ingestão de peixe e, o que é ainda mais importante, que a próxima geração – do 1.º ciclo ao ensino superior – tenho o peixe como algo normal na sua dieta ", continua o investigador, citado pela Reuters.

Pesquisas anteriores associaram os ácidos gordos ómega 3 a um risco reduzido de batimentos cardíacos anormais, menos gorduras no sangue, redução do risco de entupimento das artérias e pressão arterial ligeiramente menor, escreveram Rimm e os seus colegas. Na recomendação científica, os autores observam que comer pelo menos duas porções semanais de peixe, especialmente aqueles com muitos ácidos gordos ómega 3, pode ajudar a diminuir o risco de insuficiência cardíaca, doença cardíaca coronária, paragem cardíaca e o tipo mais comum de acidente vascular encefálico.

Medo do mercúrio

Os médicos também abordam um factor que afasta a população do consumo de peixe: medo de contaminação por mercúrio. O mercúrio é encontrado na maioria dos produtos com origem no mar, mas é mais concentrado em peixes grandes, como o tubarão, o espadarte, a cavala, o atum patudo e outros.

No entanto, o comunicado informa que a contaminação por mercúrio não aumenta o risco de doenças cardíacas em adultos e que os benefícios de comer peixe superam quaisquer riscos associados ao mercúrio, especialmente quando as pessoas comem uma grande variedade de peixes.

Mas, o peixe é apenas uma pequena parte do que deve ser a dieta saudável, a de tipo mediterrânica, salvaguardam os especialistas. Para uma óptima saúde do coração, as pessoas devem fazer exercício com regularidade, recomendam.