Opinião

O que fazem os péptidos nos produtos de cosmética?

Hoje em dia, mais de 30 péptidos são utilizados em produtos cosméticos e muitos mais encontram-se em desenvolvimento.

Fotogaleria
Eric Ward/Unsplash
Fotogaleria
Creme Hidro 24h pele reactiva, 50ml, 18,50 euros
Fotogaleria
Creme de dia Dvine Light Harvest, 50ml, 44,50 euros
Fotogaleria
Solução de noite, Timewise, Mary Kay, 38 euros
Fotogaleria
Ampolas Flash, Martiderm, caixa de cinco ampolas, 13,55 euros
Fotogaleria
Nutratopic Facial Pro, Isdin, 50 ml, 21,80 euros
Fotogaleria
Contorno de olhos Merveillance Expert, Nuxe, 15ml, 36,50 euros
Fotogaleria
Sérum antienvelhecimento Densage, Sensilis, 50ml, 30,11 euros

Os péptidos são segmentos de proteínas que estão presentes no corpo humano e desempenham funções fisiológicas importantes. Na ausência de péptidos a pele não tem capacidade de se manter intacta e o resultado é a perda de firmeza, aparecimento de rugas e modificação da textura.

De acordo com o seu modo de acção, os péptidos estão divididos em quatro grandes grupos: péptidos de sinal; péptidos envolvidos na neurotransmissão; péptidos carrier e péptidos antioxidantes. Todos os grupos desempenham funções importantes no anti-envelhecimento cutâneo. Os péptidos do primeiro grupo são moléculas capazes de aumentar a síntese de uma proteína de importância fundamental no tecido conjuntivo cutâneo (o colagénio) enquanto os do terceiro grupo libertam elementos necessários aos processos enzimáticos (por exemplo na produção de elastina – proteína responsável pela firmeza).

Os péptidos do segundo grupo são conhecidos como neuropéptidos e actuam de forma semelhante à toxina botulínica bloqueando a libertação de acetilcolina (neurotransmissor responsável pela contração muscular) e, como resultado atenuando a formação de rugas de expressão.

Os péptidos antioxidantes, como a carnosina, actuam captando as espécies reactivas de oxigénio que são poderosos oxidantes que danificam as estruturas celulares.

Além dos seus benefícios para a actividade cutânea, os péptidos são moléculas extremamente pequenas e hidrofilias (solúveis em água). Estas duas características permitem a sua permeação na pele com alguma facilidade, atingindo a camada mais profunda, derme, onde se encontram as células alvo.

Assim, os péptidos são excelentes candidatos para incorporação em produtos cosméticos de aplicação tópica. De facto, com o envelhecimento da população e com o desejo cada vez maior de manter um estilo de vida e aparência jovens, o mercado tópico do antienvelhecimento tem vindo a aumentar o que leva também a um aumento da pesquisa cientifica nesta área. Hoje em dia, mais de 30 péptidos são utilizados em produtos cosméticos e muitos mais encontram-se em desenvolvimento.

No entanto, não nos podemos esquecer que por muito especiais que os péptidos sejam, não são suficientes, só por si, para colmatar todas as necessidades da nossa pele. Eles são importantes neste processo mas devem ser utilizados em combinação com outras moléculas, como agentes hidratantes, suavizantes, emolientes e outros agentes de firmeza e de antienvelhecimento.

Directora do Controlo de Qualidade e I&D do Laboratório Edol, Produtos Farmacêuticos SA