Rússia avisa que vai abater eventuais mísseis lançados pelos EUA

A intenção já tinha sido anunciada por Moscovo em Março. A iminência de um ataque norte-americano ganhou força com o ataque químico de sábado – a que Trump quer dar resposta.

Foto
O embaixador russo no Líbano, Alexander Zasipkin (à esquerda, de fato cinzento) REUTERS/Sharif Karim

O embaixador da Rússia no Líbano, Alexander Zasipkin, disse que quaisquer mísseis lançados pelos Estados Unidos contra a Síria serão abatidos pelas forças russas e que as plataformas de lançamento passarão a ser um alvo, avança a Reuters. As declarações foram feitas na tarde desta terça-feira e referem-se à intenção de Moscovo de responder a qualquer ofensiva norte-americana na Síria, uma intenção já anteriormente anunciada em Março.

A Rússia é aliada do regime de Bashar al-Assad, que tem sido acusado de ser o responsável do ataque químico no bastião rebelde de Douma, nos arredores de Damasco. Com o ataque de sábado, o líder sírio conseguiu a rendição dos combatentes da oposição naquela zona. Segundo as organizações médicas no terreno, morreram dezenas de pessoas e outras centenas ficaram afectadas pelo gás de cloro e por outro gás não identificado.

O líder norte-americano já manifestou intenção de dar resposta ao ataque “atroz, bárbaro e inadmissível” – assim como outras potências internacionais, como a França e o Reino Unido – e acusou ainda a Rússia de ser uma das responsáveis por dar apoio ao regime sírio governado pelo “animal” Assad.

“Se houver um ataque por parte dos americanos, então… os mísseis serão abatidos e até as bases de onde os mísseis forem lançados”, disse Zasipkin ao canal al-Manar, a televisão do Hezbollah. Disse ainda que “estão prontos para negociações”. Na terça-feira à noite, o Conselho de Segurança da ONU rejeitou um projecto de resolução da Rússia para criar um novo mecanismo de investigação sobre o uso de armas químicas na Síria.