Comissária europeia e Rajoy no lançamento do concurso Évora-Elvas

Modernização do troço entre Elvas e a fronteira do Caia e obras no troço Covilhã-Guarda também vão ser entregues na segunda-feira.

Foto
ADRIANO MIRANDA

A comissária europeia Violeta Bulc, que tutela a pasta do transporte, vai estar na segunda-feira em Elvas para assistir ao lançamento do concurso público para a construção da linha Évora-Elvas, integrada no corredor ferroviário Sines-Badajoz. Presentes vão estar também o primeiro-ministro António Costa e o presidente do governo de Espanha, Mariano Rajoy.

Na cerimónia, que decorrerá pelas 11h, será também assinada a consignação da modernização do pequeno troço entre Elvas e a fronteira do Caia. Durante a tarde a comissária europeia também estará na Covilhã para a consignação das obras do troço Covilhã-Guarda. Este troço encerrou para obras há uma década e a reabertura vai permitir novamente que haja comboio directos de Lisboa para a Guarda, via Beira Baixa.

Esta é a resposta do governo aos críticos da actual solução ferroviária do governo que, dizem, condena Portugal a ser uma "ilha ferroviária", como se ouviu nesta quarta-feira num debate promovido pela Ordem dos Engenheiros e no qual participou também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, confirmou em cima da hora a sua participação naquele debate e disse que a representação ao mais alto nível do governo espanhol em Elvas é a prova de que Portugal não está isolado e que os investimentos ferroviários estão a ser realizados em sintonia dos dois lados da fronteira. O ministro admitiu que os projectos do plano Ferrovia 2020 estão atrasados, sustentando que tal se deveu “ao desinvestimento, e mesmo à displicência, com que este tema foi tratado anteriormente”. E concluiu: “Havia alguns powerpoint, mas os estudos necessários ao avanço dos projectos não estavam feitos.”