Morreu Dennis Edwards, uma voz dos Temptations e de Papa Was a Rollin' Stone

Perdeu-se “um soldado da Motown” e “um grande talento”, lamentou Smokey Robinson. Cantor tinha 74 anos.

Foto
Dennis Edwards durante um concerto de tributo a Aretha Franklin, em Cleveland, Ohio (EUA), em 2011 Jason Miller/Getty Images

Dennis Edwards, um dos vocalistas dos Temptations e que cantou Papa was a Rollin' Stone, morreu na quinta-feira em Chicago aos 74 anos. Os Temptations ajudaram a moldar o conhecido “som da Motown” e tiveram várias formações – foi na sua fase premiada, no final dos anos 1960, que Edwards integrou o grupo. “Um soldado da Motown” e “um grande talento”, lamentou Smokey Robinson.

Edwards morreu de complicações surgidas após um caso de meningite e estava hospitalizado, disse a sua família a um jornal local. “A voz retumbante e poderosa de Edwards, polida por anos a cantar gospel, era perfeita para a música soul que dominava os anos 1970”, escreve o New York Times no obituário do músico, que integrou os Temptations em 1968 e com eles percorreu a ala premiada do mítico grupo vocal nesse dealbar dos 70s e da soul psicadélica. Nascido no Alabama e criado em Detroit, cantou num coro e estudou música na cidade dos automóveis e da Motown. Casou-se com Ruth Pointer, das Pointer Sisters, e teve cinco filhas – só uma desse casamento, antes do divórcio – e era actualmente casado com Brenda Edwards.

Os Temptations nasceram em 1960 como The Elgins, formados por cinco vozes masculinas. Os cantores foram mudando, os êxitos iam-se sucedendo (em 1964 era tempo de My Girl, por exemplo) e em 1968 Edwards, vindo do posto de frontman dos Contours e substituindo a estrela David Rufin, integrava o grupo para gravar sucessos como Cloud nine, Ball of confusion (That's what the world is today) ou Papa was a Rollin' Stone. A amizade entre Edwards e Ruffin, que tinha sido despedido do grupo depois de ter exigido maior protagonismo, à imagem do que Diana Ross tinha nas Supremes, não seria suficiente para evitar que a estreia do seu substituto fosse suave. Ruffin subiu ao palco inesperadamente, cantou Too proud to beg depois de roubar o microfone a Dennis Edwards, e saiu a correr do espectáculo.

Mas a carreira de Edwards, que foi para além dos Temptations nos anos após a sua eventual da saída do grupo, seria feliz na banda masculina – gravaram o álbum Live at the Copa, colaboraram com Ross e as Supremes em dois outros discos e conseguiam êxitos nas tabelas como I’m gonna make you love me. O importante produtor Norman Whitfield introduziu composições mais psicadélicas e Cloud nine (1968) seria um sucesso de vendas e ganharia um Grammy – o primeiro da Motown. O segundo viria com Papa was a Rollin’ Stone. A voz de Edwards, entre outros quatro cantores, era essencial nessa mistura e nos temas mais distintivos daquela era dos Temptations.

O cantor deixaria o grupo em 1977, mas entre as suas actividades a solo voltaria ainda para os Temptations, com quem aceitou a entrada no Rock & Roll Hall of Fame em 1989. O seu tema a solo Don’t look any further, com Siedah Garrett e de 1984, foi um êxito que originou samples por parte de rappers como Tupac Shakur.