• Entre 1977 e 1979, Ilídio do Amaral foi reitor da Universidade de Lisboa e, antes deste período, foi o último presidente do Instituto de Alta Cultura, entre 1975 e 1976. Morreu esta sexta-feira de manhã aos 90 anos.

  • O escritor é o autor de Morte em Jericó e de Desaparecida no Bosque, publicados nos anos 90 pela Gradiva.

  • Vice-primeiro-ministro desde 2007, o ex-presidente do Sinn Féin demitiu-se no início deste ano em desacordo com a líder unionista da coligação, provocando eleições. Sofria de uma rara doença genética. Tinha 66 anos.

  • Pensava com o corpo, não apenas com a cabeça, o que fez dela uma das mais extraordinárias bailarinas do seu tempo e, sobretudo, uma das mais influentes coreógrafas de todos os tempos: depois de Merce Cunningham, a dança pós-moderna perdeu outra das suas figuras fundadoras.

  • Jogador era o capitão do Derry City, que o classificou como "um líder e uma inspiração para a equipa".

  • O patriarca da família Rockefeller morreu “pacificamente durante o sono” na sua residência em Pocantico Hills, de acordo com o porta-voz da família. Tinha 101 anos.

  • O autor e intérprete de Roll over Beethoven e Johnny B. Goode tinha 90 anos. Deixou ainda um álbum gravado com o seu nome, Chuck, o primeiro em quase 40 anos.

  • Nascido na Ribeira do Meio, no concelho das Lajes do Pico, Francisco "Barbeiro" era considerado o “rosto principal da última geração” que se dedicou à caça da baleia, diz director do Museu dos Baleeiros do Pico.