Professor do Porto é o primeiro português a receber prémio de Física em Israel

Pedro Gil Vieira tem 35 anos e é premiado pela suas investigações na área da teoria quântica de campo

Foto

O professor Pedro Gil Vieira é o primeiro português a receber um prémio de 100.000 dólares (aproximadamente 83.300 euros) da Universidade de Telavive, Israel, pelos contributos na área da física, informou a Universidade do Porto, na qual lecciona.

O Prémio Internacional Raymond e Beverly Sackler, que será entregue a 13 de Março na Universidade de Telavive, distingue, de dois em dois anos, investigadores com menos de 40 anos com contribuições importantes nos domínios da física e da química.

Este prémio deve-se ao trabalho do físico português na área da Teoria Quântica de Campo, com a criação de ferramentas teóricas que, no futuro, podem ser úteis para ajudar a compreender como as partículas mais elementares da natureza – os quarks – se unem para formar o protão (partícula com carga eléctrica positiva, que compõe o núcleo dos átomos).

A Teoria Quântica de Campo “unifica a teoria da relatividade de Einstein com a mecânica quântica, sendo, por isso, a base de toda a física moderna, descrevendo, entre outras coisas, a física de todas as partículas elementares”, explicou o cientista e professor da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP). Contudo, continuou o investigador, “no seu regime fortemente acoplado – que é também o seu regime mais interessante, em que os efeitos quânticos e relativistas são muito importantes ao mesmo tempo – as nossas ferramentas matemáticas são insuficientes e a nossa intuição física não está ainda desenvolvida”.

Pedro Gil Vieira tem usado uma “teoria de campo simplificada”, denominada Teoria Super-Yang-Mills, como laboratório teórico para desenvolver precisamente essas ferramentas matemáticas e a intuição física. “A esperança é que, resolvendo esta teoria, novas oportunidades se abram, com as novas ferramentas e ideias que daí vão advir”, referiu, acrescentando que resolver essa teoria significa “responder a todas as possíveis perguntas sobre o comportamento das partículas elementares”, descritas pela mesma.

“Sinto-me muito grato. É óptimo sentir que a comunidade acredita e valoriza a ideia de explorar este laboratório teórico, o que me motiva para colocar questões ainda mais interessantes nos próximos anos”, disse.

Pedro Gil Vieira, de 35 anos, foi estudante de Física da FCUP, onde acabou a licenciatura em 2004 e o doutoramento em 2008 (a par da École Normale Supérieure, em Paris, França). É actualmente investigador do Instituto Perimeter de Física Teórica (Canadá) e do International Centre for Theoretical Physics – South American Institute for Fundamental Research (Brasil) e tem-se distinguido pelas contribuições para a resolução de problemas complexos da física teórica. Exemplo disso é a Medalha Gribov – que conquistou em 2015 –, atribuída pela Sociedade Europeia de Física, tendo sido também nesta altura o primeiro português e o oitavo investigador a nível mundial a receber a distinção, criada em 2001, que, de dois em dois anos, reconhece o trabalho de um jovem físico em física teórica de partículas ou teoria quântica de campo.

Entre as condecorações já recebidas pelo professor afiliado da FCUP destacam-se ainda a Cátedra Clay Riddell Paul Dirac em Física Teórica e a Sloan Fellowship, galardão atribuído anteriormente a 42 dos laureados com o Prémio Nobel da Física.

Para além de Pedro Gil Vieira, nesta edição do Prémio Internacional Raymond e Beverly Sackler, será distinguido o físico Zohar Komargodski, professor do Instituto Weizmann, em Israel, e do Centro Simons para Geometria e Física, nos Estados Unidos.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações