Torne-se perito

Trump mais próximo de garantir aprovação de corte de impostos

Dois dos senadores republicanos mais reticentes anunciaram o apoio a um pacote de medidas que inclui a redução do imposto sobre as empresas de 35% para 21%.

o senador Marco Rubio, adversário de Donald Trump nas eleições presidenciais, vai votar favoravelmente a reforma fiscal
Foto
o senador Marco Rubio, adversário de Donald Trump nas eleições presidenciais, vai votar favoravelmente a reforma fiscal Reuters/MIKE STONE

O Presidente norte-americano Donald Trump e a liderança republicana do Congresso ficaram esta sexta-feira mais perto de assegurar um apoio maioritário no Senado à proposta de redução dos impostos para as empresas.

Os senadores republicanos Marco Rubio e Bob Corker, que estavam ainda indecisos relativamente a este plano, anunciaram no final de reuniões realizadas ao fim do dia que estavam prontos para votar favoravelmente a proposta.

No Senado, onde os Republicanos contam apenas com uma maioria de dois elementos, o partido não pode dar-se ao luxo de ter mais do que dois dissidentes (no Partido Democrata todos devem votar contra) e, por isso, o sentido de voto destes dois senadores eram vistos como decisivos para o sucesso desta iniciativa legislativa do presidente.

Nas últimas semanas, a liderança do Partido Republicano no Congresso tem vindo a operar alterações na proposta de reforma fiscal, tentando reduzir os receios de que os cortes previstos nos impostos conduzam a um agravamento da dívida pública do país.

O Partido Republicano foi, durante a administração Obama, o principal defensor de políticas que reduzissem o nível da dívida pública. No entanto, em simultâneo, é também do lado republicano que se ouvem mais apelos a uma redução da carga fiscal.

Donald Trump tem defendido que a redução das taxas de impostos sobre as empresas e sobre as famílias irá ter um efeito tão positivo na economia que a receita fiscal acabará por não se ressentir. No entanto, várias análises feitas por entidades independentes alertam para o risco de as medidas previstas conduzirem a uma deterioração significativa das contas públicas.

A versão da proposta ontem acertada com os senadores – e que permitiu o voto favorável de Rubio e de Corker – prevê uma redução da taxa de imposto sobre o lucro das empresas dos actuais 35% para apenas 21%. Para além disso, está prevista para os particulares uma combinação de redução de taxas com eliminação de algumas deduções. Donald Trump e os republicanos têm garantido que, com estas medidas, todos os norte-americanos beneficiam da redução da carga fiscal, mas do lado dos democratas afirma-se que são os mais ricos que vão sair a ganhar.

Prevê-se que esta proposta irá, já na próxima terça-feira, ser votada e aprovada na Casa dos Representantes, onde o Partido Republicano conta com uma maioria confortável. A seguir, a mesma proposta, segue para o Senado, onde as contas são mais apertadas.

Depois do fracasso em obter apoios para outras medidas importantes, como a do novo sistema de saúde, para Donald Trump a aprovação do pacote de medidas fiscais constitui um desafio fulcral para a capacidade da sua presidência em passar à prática as suas políticas.

Sugerir correcção