Retaliação de Israel provoca mais dois mortos palestinianos

Até agora foram contabilizadas quatro vítimas mortais, segundo as autoridades palestinianas, no contexto do bombardeamento de posições militares do Hamas em Gaza e confrontos com forças israelitas.

Foto
Uma casa destruída na Faixa de Gaza Reuters/MOHAMMED SALEM

A escalada de tensão no Médio Oriente continua, depois de o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter reconhecido Jerusalém como capital de Israel. Neste sábado pelo menos dois palestinianos morreram nos bombardeamentos de retaliação do exército israelita durante a madrugada contra as forças do Hamas na Faixa de Gaza, avança a agência Reuters.

Dois homens de 28 e 30 anos morreram na sequência de três ataques aéreos lançados esta madrugada. Segundo o Governo de Israel, os ataques constituíram uma “resposta aos mísseis lançados contra as comunidades israelitas na sexta-feira”, tendo atingindo, segundo a mesma fonte, quatro edifícios do Hamas, afectando fábricas e armazéns de armas, para além de um complexo militar.  

Estas duas vítimas mortais elevam para quatro o número de mortos em dois dias, depois de na sexta-feira dois palestinianos terem morrido em confrontos com forças israelitas na Faixa de Gaza.

Os últimos dias têm sido marcados por violentos protestos nas ruas da Cisjordânia e na Faixa de Gaza, com vários movimentos a cumprirem um "dia de raiva" contra Donald Trump e o Governo israelita, e pelas retaliações do Governo de Israel.