Este Inverno, ligue a caneca ao computador

Se está frio no escritório, a tomada USB do computador já é o suficiente para aquecer as mãos e a caneca do café.

Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta

Com o frio a apertar (mesmo que a algumas semanas do início do Inverno), há pequenos aparelhos para se livrar do frio. Muitos são portáteis (podem-se usar a caminho do trabalho, ou na secretária) e funcionam com uma tomada USB. 

Café (ou chá) de USB

O Jül é um termo – para os viciados em café com leite, chá, ou chocolate quente – que mantêm as bebidas à temperatura perfeita (para cada pessoa) desde que se começa a beber até ao fim. Está a ser desenvolvido pela Power Practical, uma empresa que chegou à fama com o projecto de uma panela (que funciona como um powerbank) na edição do SharkTank dos EUA.

PÚBLICO -
Foto
Com a Jul, o café só fica frio se quiser Jül

A mais valia é a simplicidade. “Não devia ser preciso uma aplicação móvel ou uma conexão de wi-fi para conseguir beber um excelente copo de café. Com o Jül basta uma tomada USB”, escrevem os criadores do produto.

Gira-se o termo para seleccionar a temperatura a que se quer a bebida (varia entre os 60 e 80 graus), e liga-se a base do termo a uma porta USB. Se a temperatura da bebida for superior à temperatura desejada, o termo não aquece e ligam-se umas luzes âmbares (até a temperatura diminuir). Se a bebida estiver mais frio que o desejado, as luzes são azuis.  O termo tem 20 centímetros de altura, e o preço ronda os 70 dólares.

Se prefere tecnologias mais sofisticadas para fazer café há cada vez mais aplicações e aparelhos para melhorar a experiência – o PÚBLICO fez uma lista no ínicio de Setembro.

“Patas” quentes

Outro dos produtos populares durante o inverno (que também funciona via USB) são pequenas “luvas” que aquecem as mãos. A MassageTek, por exemplo, desenvolve umas em formato de patas de pelúcia. Tal como a caneca da Power Practical, basta ligá-las ao computador para começarem a funcionar. Também aquecem os pés das pessoas (embora a empresa alerte que não se devem utilizar como pantufas), ou até animais de estimação. O preço varia entre os dez e os 20 euros. A Worten também vende algumas almofadas maiores do género por cerca de 30 euros.

PÚBLICO -
Foto

Rato para multitaskers

Para quem quer continuar a trabalhar no computador (sem colocar as mãos no interior de uma almofada USB) há o Heated Mouse Pro. Trata-se de rato para o computador que aquece – o calor, além de manter as mãos quentes, relaxa os músculos e promove a circulação.  O design ergonómico do rato adapta-se a dextros e esquerdinos. Custa cerca de 25 euros.

Luvas com baterias incluídas

Longe do computador – para quem passa mais tempo ao ar livre que dentro de espaços fechados – há as luvas aquecidas Stormtraker. O tecido é respirável e à prova de água, e vêm equipadas com uma bateria recarregável. A temperatura é personalizada directamente das luvas (sem ser necessário uma aplicação para o smartphone) e há ainda uma bolsa para levar uma bateria extra em caso de emergência.

PÚBLICO -
Foto
Outdoor Research

Custam cerca de 230 euros. São recomendadas para quem pratica desportos de Inverno, como ski.

Casacos que aquecem ou arrefecem

O fabricante de roupa desportiva Kinesix Sports, no Canadá, está a desenvolver uma gama de roupa inteligente que inclui um casaco cuja temperatura é controlada via smartphone. Já foi mencionado na lista de gadgets do PÚBLICO sobre roupa "inteligente".

O casaco à prova de água vem com vários sensores embutidos (na parte de frente e de trás do casaco, e nas mangas) que comunicam via bluetooth com uma aplicação no telemóvel do utilizador, e aquecem partes específicas do casaco. No nível mais alto (40 graus) o casaco aguenta até três horas antes de precisar de ter a bateria recarregada. A empresa canadiana que o desenvolve quer tê-lo no mercado no início de 2018. O preço irá rondar os 470 euros.