Estudantes voltam a ter 25% de desconto nos passes a partir de sexta-feira

Todas as pessoas até 23 anos que frequentem o ensino superior passam a ter direito às reduções, até agora limitadas a situações de carência económica.

Foto
Em 2012, o desconto nos transportes públicos passou a abranger apenas os estudantes que demonstrassem ter carências económicas Margarida Basto

Entra esta sexta-feira em vigor o desconto de 25% nos passes de transportes públicos para todas as pessoas com 23 anos ou menos que frequentem o ensino superior. Trata-se de uma medida que estava prevista no Orçamento do Estado para este ano e que repõe uma política alterada em 2012. A partir daquele ano, o desconto nos passes Sub23 ficou limitado a estudantes que demonstrassem ter carências económicas.

Apesar de, no início de 2016, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, ter dito que seria "impossível, nos tempos mais próximos” repor os descontos existentes antes da troika, em Outubro a medida estava inscrita no relatório anexo ao Orçamento do Estado, que foi aprovado pelo PS, PCP, Bloco de Esquerda e "Os Verdes". 

Em Lisboa, um passe Navegante Urbano, válido para a Carris, o Metro e a CP dentro da cidade, passa a custar 27,15 euros para os estudantes abrangidos, face aos 36,20 que os outros passageiros pagam. Já um Navegante Rede, que abrange paragens fora da primeira coroa tarifária, passa a custar 32 euros (o normal tem um custo de 42,65 euros).

No Porto, os passes Andante nas categorias Sub23, estudante, júnior e sénior já tinham uma redução de preço de 25%. Um Z2, que, por exemplo, permite andar nos autocarros STCP, no Metro e na CP nas principais zonas do centro da cidade, tem um custo de 22,75 euros. O mesmo passe sem desconto tem um preço de 30,30 euros.

Esta quinta-feira, o primeiro-ministro António Costa anunciou que será publicado, na sexta-feira, em Diário da República a portaria que estabelece a medida.

Notícia corrigida às 11h14 de 1 de Setembro: Os passes de transporte público do Porto já tinham este desconto para estudantes, ao contrário do que a notícia dizia numa primeira versão