Autarcas agradecem a Costa e pedem fim do “aproveitamento” da “desgraça”

António Costa está esta sexta-feira em Pedrógão e ouviu os presidentes das três câmaras pedirem-lhe que não se esqueça destes municípios.

Antes de PEdrógão, António Costa passou por Coimbra
Foto
Antes de PEdrógão, António Costa passou por Coimbra LUSA/PAULO NOVAIS

“Este não é o momento de se aproveitarem da desgraça, de tragédia é já bastante”. Foi com esta frase que o presidente da Câmara de Castanheira de Pêra, em nome dos três autarcas dos concelhos afectados pelo incêndio de Junho, pediu a António Costa que continue a visitar esta zona para que não caia no esquecimento.

O primeiro-ministro está esta sexta-feira em visita a Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra para acompanhar as obra de reabilitação depois do incêndio e, na cerimónia de assinatura de um protocolo para um investimento em Pedrógão, ouviu os autarcas pedirem-lhe para que “não se deixe pressionar”.

Fernando Alves, presidente da Câmara de Castanheira de Pêra (PS), começou por elogiar o “empenho" deste Governo. “Por muitas críticas que tenha havido, quero registar e congratular que todos os membros do Governo têm tido neste processo”. Um elogio que tinha sido já feito pelo presidente da câmara de Pedrógão, Valdemar Alves (PSD).

“Não se deixe pressionar e não se importe que o acusem de andar aqui a tentar entrar numa feira de vaidades. Venha quantas vezes quiser e puder. No dia em que deixarem de vir, passamos a ser esquecidos novamente. É uma oportunidade que temos para ser lembrados. Nós precisamos de ajuda”, disse o autarca.

Depois disto, Fernando Alves pediu aos partidos políticos que se juntem e “ajudem o Governo”. “Este não é o momento de se aproveitarem da desgraça. De tragédia é já bastante. Qualquer partido político representado na Assembleia da República deve assumir uma posição construtiva: ajudem o Governo, de desgraças estamos já nós fartos”, frisou.

O autarca lembrou no entanto que não é apenas a nível nacional que o clima político está a aquecer, mas também a nível local com as eleições autárquicas à porta. Por isso, lançou um “desafio” aos candidatos nestes municípios. “Já basta de aproveitamentos, mas a nível local também tem havido muitos. Vem aí um período particularmente quente. Peço aos municípios que tenham juízo. Não é tempo de grandes parangonas e ataques”, defendeu.

António Costa foi a Pedrógão Grande apadrinhar o investimento do Grupo Lusiaves, no valor de 60 milhões de euros, para instalação de uma unidade agrícola na zona. A promessa é a de que o investimento permita empregar 300 pessoas dos três concelhos: Pedrógão, Castanheira e Figueiró. O protocolo entre o grupo, a AICEP e os três municípios foi esta tarde assinado em Pedrógão.