E a Palma de Ouro de Cannes 2017 foi para The Square, do sueco Ruben Östlund

O júri presidido por Pedro Almodóvar atribuiu o Grande Prémio a 120 Battements par Minute, de Robin Campillo.

Foto
The Square, de Ruben Östlund DR

O júri presidido pelo cineasta espanhol Pedro Almodóvar entregou a Palma de Ouro da 70.ª edição do Festival de Cannes a The Square, do sueco Ruben Östlund. O Grande Prémio do júri foi para 120 Battements par Minute, de Robin Campillo, dado como favorito nos corredores (foi o preferido da imprensa, que lhe atribui o prémio FIPRESCI). O júri decidiu ainda, nesta edição de aniversário redondo, criar um prémio especial, atribuído à actriz Nicole Kidman.

Na filmografia do cineasta sueco, The Square é a quinta longa-metragem, sucedendo a Força Maior, que teve estreia comercial em Portugal em 2015, dias depois de ter encerrado a edição desse ano do festival IndieLisboa.

Eis a lista completa do palmarés distribuído pelo júri, que incluía ainda os cineastas Park Chan-Wook, Paolo Sorrentino e Maren Ade, as actrizes Jessica Chastain, Fan Bingbing e Agnès Jaoui, o actor norte-americano Will Smith e o músico francês Gabriel Yared, que compôs mais de uma centena de bandas sonoras, a primeira das quais para Jean-Luc Godard.

Palma de Ouro: The Square, de Ruben Östlund

Prémio especial da 70.ª edição: Nicole Kidman

Grande Prémio do júri: 120 Battements par Minute, de Robin Campillo

Prémio de realização: Sofia Coppola, por The Beguiled

Prémio de interpretação masculina: Joaquin Phoenix, por You Were Never Really Here, de Lynne Ramsay

Prémio de interpretação feminina: Diane Kruger, por In the Fade, de Fatih Akin

Prémio do júri: Loveless, de Andrei Zvyagintsev

Prémio de argumento (ex-aequo): The Killing of a Sacred Deer, de Yorgos LanthimosYou Were Never Really Here, de Lynne Ramsay