Altice acaba com marcas Portugal Telecom e Meo

A empresa liderada por Patrick Drahi vai pôr a última pedra sobre o legado de Zeinal Bava na Portugal Telecom e fazer desaparecer as marcas PT e Meo. Sobrevivem Sapo, Moche e Uzo

Foto
jl jonatas luzia

Os donos da PT Portugal vão abandonar a marca PT e Meo e assumir uma única identidade global: Altice. A mudança irá acontecer dentro dos próximos 12 meses. A apresentação da nova imagem da empresa está a ser feita esta terça-feira, em Nova Iorque.

Em Portugal, as marcas Sapo (por ser media) e Moche e Uzo (por serem dedicadas a segmentos específicos) irão manter-se. "As marcas que a Altice tem actualmente não são consistentes" com o projecto do grupo de convergir toda a sua oferta de telecomunicações, conteúdos e publicidade, de alcance internacional e forte peso do digital, explicou aos jornalistas Michel Combes, presidente executivo do grupo. Uma ambição, acrescentou, só possível com uma única identidade global.

A nova marca Altice está à ser preparada há 12 meses e o processo acelerou desde o início deste ano, conforme noticiou o PÚBLICO. O projecto foi liderado pela Publicis, a agência de publicidade com quem a Altice já trabalha e que irá ficar como a única entidade desta área para todos os mercados da empresa.

Questionado sobre se os problemas de notoriedade do grupo associados ao passado recente da empresa e aos desenvolvimentos jurídicos em torno do que é agora a Pharol (antiga PT SGPS), contribuíram para a decisão, Combes explicou ao PÚBLICO que foi uma decisão de grupo, não foi definida por nenhum país.

“A PT é muito forte como empresa em Portugal, estamos orgulhosos de ser donos da PT, acreditamos em relançar o activo, para ser mais forte e para ser um verdadeiro impulsionador digital para o país - é isso que tencionamos fazer”.

Neste contexto, a “nova marca irá ajudar a PT a ser ainda mais reconhecida no futuro”, acrescentou, relembrando que “a maioria dos incumbentes na Europa mudaram de nome, porque a determinada altura é preciso assumir uma transição” para outras áreas como o digital. Aliás, justificou mesmo esta decisão de unir as marcas debaixo de um só logo com o facto de estar a competir numa paisagem global com designações como o Facebook e a Google.

A Altice recusou divulgar o montante de investimento que representará esta mudança de imagem, que irá abranger não só edifícios e lojas da PT/Meo, mas também infra-estrutura e equipamentos. Por exemplo, explicou Combes, as novas boxes da Altice em Portugal - que serão lançadas brevemente em todo o mundo com novas características - já terão o logo e nova imagem da empresa, marcado pelas cores preto e branco e linhas mais curvas.

Michel Combes sublinhou, contudo, que prevê atingir sinergias no lançamento da marca, com a concentração do processo na Publicis, que limitarão o custo, sempre avultado, de uma mudança de uma marca global.

Sobre o eventual papel de Cristiano Ronaldo nas campanhas da nova marca, o responsável adiantou: "Ronaldo tem os valores ideais para esta transição, estamos muito contentes com o Ronaldo, é um dos ícones para nós e para a nossa imagem".

A equipa de criativos que desenhou a nova imagem está sediada em Nova Iorque (Turner Duckworth) e já fez, entre outras, a imagem da Amazon. Mas o PÚBLICO sabe que o português Tomás Froes, da Partners, responsável pela identidade mais recente do Meo e por campanhas dos CTT e da FPF, também esteve envolvido no processo. A Partners deverá acompanhar a transição localmente, à imagem do que será feito no resto dos mercados com as empresas locais.

A República Dominicana dará, já no terceiro trimestre deste ano, o pontapé de saída da mudança de marca da Altice, numa operação global que andará a ritmos diferentes nos vários mercados e que terminará em meados do próximo ano.

Durante a fase de transição, revelou ainda o presidente executivo da Altice, as marcas PT e Meo serão já acompanhadas na sua comunicação pela nova imagem, ainda que de forma subtil.

Combes revelou ainda que será contratado nas próximas semanas um administrador global para o marketing, cuja única responsabilidade será supervisionar toda a mudança em todos os mercados.

*O jornalista viajou a convite da Altice

Notícia corrigida: onde antes estava "Tomás Froes responsável pela criação do Meo", passou a estar "Tomás Froes responsável pela identidade mais recente do Meo"