Antiga CP Carga muda outra vez de nome para Medway

Empresa teve de desistir da marca Medlog por já haver uma empresa de logística com o mesmo nome a operar em Portugal.

MSC, dona da ex-CP Carga, tentou comprar a marca Medlog à Cooprofar
Foto
MSC, dona da ex-CP Carga, tentou comprar a marca Medlog à Cooprofar Bruno Lisita/Arquivo

Ex-CP Carga, Medrail, Medlog, Medway. Confuso? São quatro designações para a mesma empresa e referem-se todas à antiga CP Carga, a transportadora ferroviária de mercadorias estatal que foi privatizada e adquirida pelo grupo MSC (Mediterranean Shipping Company).

Como o próprio caderno de encargos obrigava à mudança de nome, a MSC registou a empresa provisoriamente com o nome de Medrail, mas lançou um concurso entre os seus colaboradores para conceberem um novo nome, do qual saiu a Medlog. O trabalhador que o sugeriu foi até premiado com um cruzeiro no Mediterrâneo.

Só que já existia em Portugal uma empresa homónima. A Medlog – Transportes & Logística é uma sociedade anónima que opera no mercado farmacêutico na distribuição de medicamentos do grupo Cooprofar, que não aceitou esta designação por considerar que “conflitua directamente” com a sua marca.

A MSC ainda tentou comprar a marca à Cooprofar, mas não houve acordo. Seis meses depois, a antiga CP Carga anunciou nesta sexta-feira que, agora, se vai chamar Medway.

Esta designação, porém, só será utilizada em Portugal. No universo do grupo MSC, o nome Medlog vai continuar a ser utilizado: na Turquia a multinacional tem uma empresa dedicada ao transporte rodoviário de mercadorias que também se chama Medlog.

A MSC admite ainda que a Medway também assim seja conhecida no mercado espanhol tendo em conta o seu objectivo de ser o maior operador ferroviário da Península Ibérica. Contudo, além Pirinéus permanecerá Medlog.

“A mudança de nome não afecta a estratégia que delineámos aquando da privatização, pelo que o nosso caminho ambicioso se mantém inalterado e já com conquistas a registar, como a optimização dos espaços nos comboios e o desenvolvimento e fortalecimento de sinergias com os portos marítimos e portos secos”, diz Carlos Vasconcelos, presidente da agora Medway.

Com a mudança de nome resolvida, está ainda por concretizar a oferta pública de venda (OPV) de 5% do capital da antiga CP Carga aos trabalhadores. Trata-se de um requisito do processo da privatização que continua por cumprir um ano e meio depois.

Em Janeiro deste ano, fonte oficial da CP dizia ao PÚBLICO que a operação de venda deveria ocorrer “em breve, dentro de dias, no máximo semanas”. E em Julho, fonte oficial do Governo dizia que “a conclusão do processo de privatização da CP Carga está em fase final de tramitação legislativa”. 

Sugerir correcção