Christine Lagarde vai ser julgada

O tribunal rejeitou o recurso da directora do FMI no caso sobre o seu envolvimento no pagamento de 400 milhões de euros ao empresário Bernard Tapie.

Foto
O FMI reiterou a sua confiança em Lagarde Reuters

Christine Lagarde vai ser julgada pelo seu papel no pagamento de 400 milhões de euros do Estado francês ao empresário Bernard Tapie, em 2008. Lagarde, actualmente presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), era na altura ministra das Finanças.

O tribunal de recusos francês rejeitou esta sexta-feira o pedido de Lagarde feita após a decisão do juiz em Dezembro. Christine Lagarde terá de ir a julgamento no Tribunal de Justiça da República – um tribunal específico para os casos de crimes cometidos por ministros durante o exercício do cargo.

O advogado de Lagarde, Patrick Maisonneuve, mostrou o seu desagrado perante este desfecho, mas disse acreditar que será declarada a sua incocência. Já Gerry Rice, porta-voz do FMI, revelou que a instituição tem confiança nas capacidades de Lagarde para continuar as suas funções como directora, avançou a Reuters.

Christine Lagarde é acusada de negligência por permitir uma arbitragem, fora dos tribunais, numa disputa entre Bernard Tapie – que apoiou o antigo Presidente Nicolas Sarkozy, de cujo governo Lagarde fazia parte – e o Estado; na prática, foi acusada de beneficiar Tapie. Os juízes decidiram a favor de Tapie e o Estado francês indemnizou-o em 400 milhões de euros. Mais tarde, o tribunal de recursos decidiu que Tapie devia reembolsar o Estado francês. O empresário já contestou essa decisão e aguarda uma resposta.

Este caso começou quando Tapie processou o Estado depois de ter vendido as suas acções na empresa Adidas ao banco francês Crédit Lyonnais, em 1993. Acusou o banco de fraude por este ter depois vendido as suas acções a um preço muito mais elevado.