Editorial

Não deixar tudo nas mãos de Draghi

À primeira vista, parecem boas notícias. Com a inflação na Europa a entrar em terreno negativo, no imediato os consumidores até ganham poder de compra. Basta pensar no que se paga hoje e no que se pagava há uns meses para atestar o depósito do carro. E as expectativas de que o Banco Central Europeu (BCE) possa intensificar a sua política monetária expansionista até estão a ajudar os juros da dívida. Porém, a inflação negativa é um presente envenenado, pois pode induzir ao adiamento de decisões de consumo ou investimento. A expectativa é a de que o BCE faça ainda mais, mas Mario Draghi já avisou: não basta o papel do BCE; os governos também têm de promover políticas para criar empregos e espevitar o crescimento. São bem-vindas mais políticas à laia do Plano Juncker. O pior que poderia acontecer a uma Europa que ainda procura sair lentamente de uma recessão seria entrar numa situação de deflação.