Turismo de Natureza aumenta 20% da procura no Aeroporto do Porto em Janeiro 2016

O perfil do turista que procura actividades no Norte de Portugal são jovens com idades entre os 20 e 35 anos, profissionais liberais entre os 25 e 50 anos e praticantes e adeptos de desportos e aventura

As associações de pedestrianistas já realizaram várias manifestações contra as taxas
Foto
As associações de pedestrianistas já realizaram várias manifestações contra as taxas Paulo Ricca

O Turismo de Natureza aumentou a procura em 20% em Janeiro na Loja do Turismo do Aeroporto do Porto, em relação ao período homólogo de 2015, subindo para 4.º lugar no ranking de preferências dos turistas.

“O turismo de natureza tem-se revelado em procura crescente e devidamente articulado com outras ofertas do nosso destino, como a gastronomia e vinhos e o touring cultural e paisagístico, por exemplo, tem fortes condições para se impor cada vez mais como um forte motivo de atractividade e de uma maior permanência na região”, disse à Lusa o presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), Melchior Moreira.

Numa entrevista no âmbito do início da Navatur 2016 - Feira Internacional de Turismo Interior e de Montanha -, que vai decorrer em Pamplona (Espanha), entre sexta-feira e domingo, e onde o TPNP vai estar representado com 63 ofertas no sector do Turismo de Natureza, Melchior Moreira adiantou que o perfil do turista que procura actividades no Norte de Portugal são jovens com idades entre os 20 e 35 anos, profissionais liberais entre os 25 e 50 anos e praticantes e adeptos de desportos, aventura e actividades específicas.

Portugal, Espanha e França são os mercados de referência estratégica, mas os países nórdicos começam a ganhar representatividade, procurando características naturais do destino, acompanhadas por condições climatéricas muito favoráveis à prática de desportos.

“Procuram a prática de desportos e actividades muito específicas, sentimento de aventura e adrenalina”, indicou.

“O número de ofertas neste tema que levamos agora à Navatur é muito interessante. Da orientação ao running (corrida), passando pelo rafting, caminhadas, mergulho, surf e vela, entre outras, são vários os programas que a Porto e Norte com os operadores turísticos do território se preparam para apresentar”, indicou o presidente do TPNP.

O território no Norte de Portugal é “extremamente atractivo para a prática de modalidades desportivas diferenciadoras e que ganham cada vez mais adeptos (…) Sejam as sugestões de percurso de ecovias, ecopistas e ciclovias, seja o rafting ou as sugestões de desportos de mar, nas quais o surf, a vela e o mergulho assumem cada vez mais preponderância”.

A crescente importância que o Turismo Desportivo está a ter na região é confirmada com os dados publicados recentemente na revista do sector - Turismo 2016 – onde se lê que dos turistas que visitam o Porto e o Norte “um em cada cinco pratica ou assiste a actividades desportivas de acordo com os dados do 1º e 3º trimestre de 2015”.

O turista em destaque tem um comportamento diferente dos demais, porque durante a sua estadia pernoita mais no destino e o seu consumo é significativamente superior (1.058 euros face aos 852 euros).

A presença na Feira Internacional de Turismo Interior e de Montanha é também uma forma de combater sazonalidade, visto que se prevê que há 30 mil potenciais interessados que devem passar pelo evento.

“O destino Porto e Norte vai dar a conhecer a oferta do Minho, Porto, Douro e Trás-os-Montes em modalidades que ganham cada vez mais adeptos do lado de lá da fronteira”, conta Melchior Moreira, observando que o território é “extremamente atractivo para a prática de modalidades desportivas diferenciadoras e que ganham cada vez mais adeptos”.