Primeiras exportações de leite para a China somaram meio milhão de euros

Mercado foi aberto a 31 empresas o ano passado que começaram a exportar este ano. Comitiva de empresários chineses está em Portugal para conhecer o sector.

Produtores portugueses debatem-se com queda no preço do leite
Foto
O sector leiteiro está em crise, com a queda dos preços na produção Rui Soares

s exportações de leite para a China, que começaram pela primeira vez este ano depois da abertura do mercado a 31 empresas portuguesas, somaram cerca de 500 mil euros até Junho. Este é o resultado das vendas de leite em pó, soro de leite e leite UHT para aquele país, onde o mercado de lácteos está avaliado em 74 mil milhões de euros , adiantou ao PÚBLICO, Nuno Vieira e Brito, secretário de Estado da Alimentação.

“Em 2015 começámos a exportar produtos. O volume ainda é pequeno, mas partimos do zero. O ano passado, para Macau e Hong Kong [para onde já era possível exportar] o crescimento foi de 82%”, disse. A China adquiriu a Portugal 17,2 milhões de euros de produtos agrícolas e alimentares em 2014 e este ano, no primeiro semestre, reforçou as compras. Dados da secretaria de Estado da Alimentação apontam para 15,7 milhões de euros de exportações agro-alimentares, mais 113% do que no mesmo período de 2014.

Nuno Vieira e Brito recebeu nesta terça-feira uma comitiva de sete empresas chinesas interessadas em comprar mais produtos lácteos, numa altura em que os produtores se debatem com a queda de 13% no preço do leite. O fim das quotas leiteiras e a redução do consumo despoletou uma crise no sector que já levou Portugal, Espanha, Itália e França a avançar com um pedido conjunto a Bruxelas de medidas concretas para fazer aumentar os preços.

“O grupo de empresários está em Portugal a nosso convite quando em Maio nos deslocámos à China. Portugal era o único país da Europa onde não compravam leite e lacticínios. Na comitiva há empresas privadas de todas as regiões geográficas da China, com capacidade para comprar e o que fizemos foi apresentar as empresas portuguesas habilitadas para exportar”, contou Nuno Vieira e Brito. Durante a missão empresarial, o grupo vai visitar, entre outras, a Lacticínios Paiva e a Lactogal.

“A expectativa é que se concretizem compras no valor de dez milhões de euros em produtos lácteos até finais de 2016”, continuou o secretário de Estado. O objectivo traçado pelo Governo quando anunciou, em 2013, a abertura do mercado chinês era atingir vendas de dez a 15 milhões de euros no primeiro ano.

A comitiva chinesa é comporta por representantes da Gourmet Morgan (distribui alimentos importados para cadeias como a Wal Mart e Carrefour), a We can 4?, a ShanghaiHaopeng Food, a Xiamen Trade, a Chengdu Milkmore, a Goodwell e a Dah Chong Hong (cotada na bolsa de Hong Kong).

À espera do dia 7
Enquanto se tenta estimular as exportações de leite para compensar a descida de preço (uma das medidas incluídas no plano de acção traçado pelo Governo), as atenções centram-se na reunião extraordinária de ministros da Agricultura em Bruxelas, onde a crise do leite será debatida. À porta, os governantes terão protestos de produtores de leite, organizados pela European Milk Board, que faz lobby em Bruxelas e representa 100.000 produtores. Por cá, a Associação de Produtores de Leite de Portugal também marcou um encontro numa exploração leiteira para “erguer a voz pelo futuro do leite português”.

Depois da reunião entre Portugal, Espanha, Itália e França dia 29 de Agosto, a ministra espanhola da Agricultura, Isabel García Tejerina, esteve reunida já esta semana com o comissário europeu Phil Hogan a quem entregou as conclusões do encontro entre os quatros países.

No documento, defendem um aumento do preço de referência a partir do qual os Estados-membros podem comprar e armazenar leite, retirando o produto do mercado e fazendo, assim, subir os preços.

Sugerir correcção