Adelaide Carneiro/Arquivo
Foto
Adelaide Carneiro/Arquivo

Porto e Norte registaram número recorde de dormidas de estrangeiros em 2014

Entre 2013 e 2014, o número de dormidas de estrangeiros no Porto e Norte de Portugal cresceu 13,8%. 2,6 milhões de pessoas ficaram na região

O Porto e o Norte de Portugal registaram 2,6 milhões de dormidas de estrangeiros entre Janeiro e Outubro de 2014, mais 13,8% do que no período homólogo de 2013, anunciou esta sexta-feira, 2 de Janeiro, a Associação de Turismo do Porto.

"No final de 2014 superámos as 2,6 milhões de dormidas de estrangeiros no Porto e Norte de Portugal quando, de acordo com o PENT — Plano Estratégico Nacional do Turismo —, esse objectivo deveria ser alcançado somente no ano de 2015", afirma, em comunicado, a ATP.

O objectivo fixado para 2014 era o "incremento de 150 mil dormidas de estrangeiros no destino e no final de Outubro esse objectivo foi duplicado", salienta, adiantando que "o crescimento de afluxo de turistas estrangeiros à região registou um número recorde".

As 2,6 milhões de dormidas de estrangeiros registadas naquele período do ano passado levam a entidade responsável pela promoção externa da região do Porto e Norte do país a adiantar ter sido assim antecipado "o objectivo proposto para 2015". De acordo com a associação, entre Janeiro e Outubro do ano passado, "o número de dormidas de estrangeiros aumentou 304.700 relativamente ao mesmo período de 2013".

Espanha, França, Brasil, Alemanha e Reino Unido ocupam os cinco primeiros lugares de países emissores, seguindo-se Itália, Holanda, Estados Unidos, Bélgica e Escandinávia. "Contudo, o destino [Porto e Norte de Portugal] tem registado uma diversificação de mercados e existem actualmente outros mercados que começam a demonstrar alguma preponderância como é o caso da China, Rússia, Polónia, Índia, Irlanda, entre outros", destaca a associação.

A ATP aponta "a autenticidade e diversidade do destino, desde o património cultural e histórico, ao lazer, gastronomia e vinhos, assim como o facto de a região integrar quatro zonas classificadas património mundial pela UNESCO" como factores que contribuem para este resultado.

A qualidade da oferta turística e de serviços, o facto de ser considerado um destino seguro e oferecer uma boa relação qualidade—preço são outros fatores "importantes".

Sugerir correcção