Para a Wine Spectator, o melhor vinho do ano é português

Vintage da Dow's de 2011 conseguiu 99 pontos e arrebata a primeira posição; Chryseia 2011 e Quinta do Vale Meão da mesma colheita ficam na terceira e quarta posições.

Foto

No primeiro posto da lista divulgada esta sexta-feira, com 99 pontos em 100 possíveis, surge um vintage da Dow's de 2011. Este vinho generoso é produzido pela família Symington, que é também responsável por outro vinho celebrado pela Wine Spectator, o Chryseia 2011, que ficou na terceira posição da lista com uma pontuação de 97.

No quarto posto, ficou outra das referência da produção vinícola do Douro, o Quinta de Vale Meão 2011, cuja criação é da família Olazabal e conseguiu igualmente uma pontuação de 97 pontos em 100 possíveis.

Na análise que faz àquele que considera ser o melhor vinho do mundo, a revista afirma que se trata de "um monumento à qualidade e à modernização do Douro". O vinho é descrito como não demasiado doce e "com uma garra e uma interacção entre álcool e taninos que lhe auguram uma longa vida".

No Douro desde o final do século XIX, a família Symington é uma das referências da região. Há dois anos, Paul Symington, que está à frente da empresa familiar, foi considerado o homem do ano no sector dos vinhos pela revista Decanter.

Em relação ao Chryseia 2011, feito a partir das castas Touriga Nacional e Touriga Franca, a Wine Spectator considera estar-se perante um vinho "que combina elegância e força" a um nível que não era visto há muitos anos.

Já o Quinta do Vale Meão, produzido com um blend de quatro castas (Touriga Nacional e Franca e Tinta Roriz e Barroca), a revista afirma estar-se perante um vinho "exuberante e sedutor" que evidencia a marca do produtos Francisco Olazabal.