Martifer diz que pode criar mil empregos em cinco anos em Viana

Empresa espera que Estaleiros de Viana do Castelo sejam rentáveis logo no primeiro ano de actividade.

Foto
Joana Bourgard

O presidente da Martifer garante que a empresa está a negociar parcerias de dezenas de milhões de euros em África e na América Latina e pode criar mais de mil postos de trabalho, em cinco anos, nos Estaleiros de Viana do Castelo.

“Estamos a concorrer e negociar navios que, na totalidade, podem ultrapassar dezenas de milhões de euros”, disse Carlos Martins, em entrevista publicada nesta terça-feira no Diário Económico.

“Caso a carteira de encomendas se concretize, seria caso para empregarmos em Viana do Castelo mais de mil pessoas num prazo de cinco anos”, adiantou o gestor, que quer colocar “os Estaleiros de Viana no circuito de reparação naval internacional”.

O presidente da Martifer assegurou que a empresa está neste momento em “fase final de negociação de novos contratos” que “permitem garantir de imediato a criação de 400 postos de trabalho” e que o objectivo é “recuperar o máximo de trabalhadores dos Estaleiros de Viana, porque eles sabem da arte”. Também adiantou esperar que os estaleiros “sejam rentáveis logo no primeiro ano”.

O Governo anunciou na semana passada o despedimento dos mais de 600 trabalhadores dos Estaleiros Nacionais de Viana do Castelo (ENVC) até Janeiro de 2014, processo que deverá custar ao Estado cerca de 30 milhões de euros em indemnizações.

A Martifer ganhou a subconcessão dos terrenos e infra-estruturas dos ENVC. Segundo Carlos Martins, “o Governo quer ter esta situação com os trabalhadores esclarecida” antes de assinar o contrato de subconcessão com a Martifer.

 

Sugerir correcção