Exportações aceleram e somam crescimento de 4% até Setembro

Setembro é um mês tradicionalmente favorável às exportações e este ano não foi excepção. Vendas para fora da UE cresceram 17,6%.

Foto
As vendas para países de fora da União representaram 1152 milhões de euros em Setembro Daniel Rocha

As vendas de bens ao estrangeiro totalizaram perto de 35.420 milhões de euros nos nove primeiros meses do ano, mais 4% do que no mesmo período do ano passado, divulgou nesta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Depois de praticamente estagnadas em Agosto, as exportações tiveram um forte impulso em Setembro, altura em que as vendas de mercadorias dispararam 18,7% face ao mês anterior e 9,8% em relação a Setembro de 2012.

O bom desempenho das exportações foi sustentado por um crescimento tanto nas vendas para os países da União Europeia como para países de fora do espaço comunitário, onde o ritmo de progressão foi mais forte. O INE nota, no entanto, o facto de o comércio internacional registar em Setembro “tradicionalmente acréscimos face ao mês anterior, devido à paragem de laboração de algumas empresas no período de férias”.

Ao todo, as exportações portuguesas ascenderam, nesse mês, a 3931 milhões de euros. Para a UE foram exportados 2779 milhões de euros, mais 6,8% do que no período homólogo e mais 25,7% do que em Agosto. O desempenho é explicado pelo INE com as vendas de veículos e material de transporte, máquinas e aparelhos. Na comparação com o mês de Setembro do ano passado, é preciso ter em conta o facto o período de greves em alguns portos nacionais.

Os combustíveis foram determinantes para este desempenho das exportações, que beneficiaram, nos últimos meses, da construção de uma nova unidade de produção da Galp. As vendas de combustíveis e lubrificantes aumentaram 29,7% no terceiro trimestre.

O conjunto dos 28 países da União Europeia é o grande destino das mercadorias portuguesas e Espanha, Alemanha, França e Reino Unido continuam no topo dos países para onde Portugal mais exporta. Combustíveis minerais (essencialmente óleos de petróleo ou de minerais betuminosos), plásticos e borrachas explicam o aumento das vendas para o espaço comunitário.

Já as vendas para países de fora da União representaram 1152 milhões de euros, um crescimento de 17,6% em relação a Setembro do ano passado e de 4,8% face ao mês anterior. Neste grupo, as vendas aumentaram sobretudo devido às compras de combustíveis minerais (gasolinas para motor e gasóleo obtido a partir de óleos de petróleo ou de minerais betuminosos), produtos agrícolas (azeite) e minerais e minérios, refere o INE.

Também as importações aumentaram em Setembro, registando-se um crescimento homólogo de 3,7%, que foi impulsionado sobretudo pela entrada de veículos, material de transporte, máquinas e metais. Tal como nas vendas ao exterior, a evolução das importações tem sido irregular ao longo do ano. No conjunto dos nove primeiros meses do ano, a compra de bens ao exterior praticamente estagnou, ao registar-se uma variação de -0,01% em relação ao mesmo período do ano passado.

O Governo conta já, para este ano, com um ligeiro crescimento das importações (de 0,8%), ao mesmo tempo em que as exportações deverão crescer 5,8%. Nas previsões do executivo estão contabilizadas não apenas as compras e vendas de bens, mas também de serviços. Para 2014, ano em que o Governo aponta para uma progressão positiva do PIB, com um crescimento (residual) do consumo e do investimento, as importações deverão crescer 2,5% e as exportações aumentar 5%.
 
 

Sugerir correcção