Custos com PPP duplicam para 1645 milhões em 2014

Falta chegar a acordo com Euroscut para atingir poupanças de 300 milhões prometidas para este ano

Foto
Aumento está relacionado com o facto de se iniciarem no próximo ano pagamentos relativos a subconcessões da Estradas de Portugal Daniel Rocha

Os encargos com parcerias público-privadas (PPP) vão atingir 1645 milhões de euros em 2014, o que representa um acréscimo de quase 90% face aos custos a assumir este ano. Parte substancial da factura será da responsabilidade das concessões rodoviárias, num total de 1166 milhões.

Este aumento está relacionado com o facto de se iniciarem no próximo ano pagamentos relativos a subconcessões da Estradas de Portugal, contratualizadas entre 2007 e 2011, explica-se no relatório que acompanha a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014.

Para este ano, as poupanças de 300 milhões que tinham sido prometidas pelo Governo ainda não foram totalmente cumpridas, tendo sido possível até agora alcançar acordos com as concessionárias que representam uma redução de 273 milhões nos custos.

Falta ainda chegar a acordo com a Euroscut, que gere as concessões Norte Litoral e Algarve. O executivo pretendia fechar este capítulo em Junho, tendo depois adiado o objectivo para Setembro e continua ainda sem o alcançar. Falta também garantir “luz verde” dos bancos financiadores aos acordos alcançados até agora.

No relatório refere-se ainda que o Governo criou uma comissão para renegociar com a Brisa e Lusoponte, no sentido de captar “potenciais poupanças adicionais”.

O Governo continua a prever que as poupanças acumuladas para toda a vida dos contratos superem os 2500 milhões de euros, em valores nominais.

Leia todas as notícias sobre o OE2014 em Orçamento do Estado