Descoberto o maior vulcão do mundo no Pacífico

Baptizado de “Tamu Massif”, fica a 1600 quilómetros a leste do Japão e ocupa uma área equivalente a 310 mil quilómetros quadrados.

O “Tamu Massid” terá sido formado há 145 milhões de anos
Foto
O “Tamu Massif” terá sido formado há 145 milhões de anos Universidade de Houston/DR

Um grupo de cientistas dos Estados Unidos anunciou a descoberta do maior vulcão do mundo que fica localizado no Pacífico. Apelidado de “Tamu Massif” o vulcão está submerso e fica a cerca de 1600 quilómetros a leste do Japão, ocupando uma área equivalente a cerca de 310 mil quilómetros quadrados – mais ou menos a mesma das Ilhas Britânicas e cerca de três vezes e meia a área de Portugal Continental.

Na descoberta publicada no jornal científico Nature Geoscience, citada pela BBC, os cientistas da Universidade de Houston dizem contudo acreditar que possam ainda existir outros vulcões maiores mas que simplesmente não foram encontrados. Até lá este é um dos maiores do sistema solar, ultrapassado apenas pelo famoso Monte Olimpo de Marte.

As análises feitas pela equipam permitiram perceber que o vulcão terá sido formado há 145 milhões de anos quando grandes quantidades de lava começaram a sair do canal principal e depois de foram alastrando e solidificando. Porém, dizem ser improvável que volte a entrar em actividade. A sua altura atinge os quatro quilómetros e o comprimento os 550 quilómetros. O ponto mais elevado fica, mesmo assim, dois quilómetros abaixo da superfície do mar.

De acordo com o coordenador da equipa de investigadores, William Sager, o vulcão integra uma cadeia montanhosa submarina conhecida como “Shatsky Rise” e que foi formada devido à erupção de vários vulcões que se encontram naquela zona do oceano.

Sager diz que os cientistas gostariam de perceber melhor porque pararam naquela altura as erupções e adiantou que há mais de duas décadas que estudava o “Tamu Massif” mas explicou que, de início, foi muito difícil perceber se era apenas um ou vários vulcões que se tinham unido. O nome “Tamu” foi escolhido devido à anterior universidade onde William Sager trabalhou: a Texas A&M University.

Num comunicado da Universidade de Houston, William Sager afirma que podem existir vulcões maiores mas que as duas décadas de trabalho permitiram ter certezas que no caso do Tamu Massif a origem da lava é a mesma, pelo que não teve origem num complexo de vulcões.

O vulcão que até agora era considerado o maior da Terra era o Mauna Loa, situado na Ilha do Havai, nos Estados Unidos, e mesmo assim tinha apenas 2% da área do “Tamu Massif”.

Notícia corrigida às 19h31 de 10/09/2013. Corrige distância em relação ao Japão e comparação com Monte Olimpo