Em actualização

Três incêndios mobilizam mais de 1100 bombeiros

Maiores fogos são nos concelhos de Tondela, Sátão e Mondim de Basto. Na Serra do Caramulo, onde na quinta-feira morreu uma bombeira de 21 anos, as chamas têm quatro frentes.

Fotogaleria
Viatura onde seguia a bombeira de 21 anos que perdeu a vida no incêndio DR
Fotogaleria
Fotogaleria
O número bombeiros mortos só neste Verão eleva-se assim para cinco. Três deles foram na Serra do Caramulo.
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

Apesar de na manhã desta sexta-feira estarem activos no país cinco incêndios de grandes dimensões, três deles destacam-se pelo número de meios que estão a mobilizar: mais de 1100 bombeiros, apoiados por 360 veículos. Durante toda a noite o vento continuou a dificultar o combate e no terreno espera-se agora que os meios aéreos possam ajudar.

Dos 12 incêndios em curso no país, de acordo com as informações disponibilizadas pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), cinco tinham grandes proporções.

O que continua a mobilizar mais meios é o do distrito de Viseu, no concelho de Tondela, com quatro frentes. Na Serra do Caramulo estão quase 700 bombeiros com 215 veículos e sete meios aéreos. O fogo começou na semana passada e foi controlado no início desta semana mas reacendeu-se na quarta-feira.

O dispositivo de combate no Caramulo foi, entretanto, reforçado com três aviões espanhóis, adiantou à Lusa o comandante adjunto de operações nacional da Protecção Civil, Miguel Cruz. Tratam-se de três aviões anfíbios espanhóis Canadair, ao abrigo de um protocolo de ajuda mútua entre Portugal e Espanha.

No mesmo distrito mas no concelho de Sátão, um outro incêndio com três frentes está a ser combatido por 260 bombeiros, 74 veículos e 7 meios aéreos.

Em Vila Real desde terça-feira que os bombeiros tentam dominar um incêndio de três frentes no concelho de Mondim de Basto, no Parque Natural do Alvão. No local estão 193 bombeiros, num total de 277 operacionais e 78 veículos e dois meios aéreos.

Há ainda a registar um incêndio em Braga, no concelho de Terras de Bouro, com 25 bombeiros e duas frentes, e um outro no distrito do Porto, concelho de Paredes, que começou na madrugada desta sexta-feira e que conta com duas frentes. As chamas estão a ser combatidas por 125 bombeiros e mais de 30 veículos, com o apoio ainda de um meio aéreo.

Nuvem negra sobre o Porto
Parte da cidade do Porto está coberta por uma nuvem de fumo, oriunda de um incêndio que deflagrou esta manhã em Besteiros, Recarei, no concelho de Paredes.

O alerta chegou aos bombeiros voluntários de Cête pelas 6h12 e o fogo tem estado a crescer. Fonte da corporação disse ao PÚBLICO que já houve habitações em perigo, mas que a situação foi resolvida e que o fogo continua a crescer apenas em área florestal.

“O incêndio já passou a A41 e está a crescer. Temos várias corporações no terreno e estamos à espera de reforços”, disse a mesma fonte. A A41 não chegou a ser cortada.

Três mortos na Serra do Caramulo
Foi na Serra do Caramulo que morreu na quinta-feira mais uma bombeira num combate a um incêndio também em Tondela, mas numa outra zona. Além da bombeira de 21 anos que morreu, ao longo de toda a quinta-feira mais oito operacionais ficaram feridos com gravidade em episódios relacionados com três incêndios distintos: o de Tondela, um na Guarda e outro em Viana do Castelo.

Em relação a um dos bombeiros que ficou ferido em Tondela e que está internado no Hospital da Prelada, no Porto, o seu “prognóstico é muito reservado” e está “bastante instável”. O jovem de 18 anos ficou com 55% do corpo com queimaduras e tem as vias respiratórias afectadas, pelo que está entubado e ventilado, adiantou fonte do hospital à Lusa.<_o3a_p>

Em relação ao bombeiro Daniel Falcão, de 25 anos, operacional de Miranda do Douro que ficou ferido num incêndio a 1 de Agosto e foi também transferido para o Hospital da Prelada, a fonte disse que o prognóstico evoluiu de muito reservado para reservado. O bombeiro deu entrada com 70% a 80% do corpo queimado.

Em relação a quinta-feira, ainda há a registar dois feridos ligeiros, um militar do Grupo de Intervenção, Protecção e Socorro (GIPS) da GNR e um outro operacional, que também combatiam o fogo na freguesia de Santiago de Besteiros, onde morreu a bombeira. O número bombeiros mortos só neste Verão eleva-se assim para cinco. Três deles foram na Serra do Caramulo.

Ao longo de quinta-feira a ANPC registou um total de 413 ocorrências, para as quais foram mobilizados 6947 operacionais e 1903 veículos. Desde a meia-noite desta sexta-feira já tinham sido registados 117 ocorrências em todo o país, estando 12 delas em curso, sendo que cinco tinham uma dimensão significativa.

Já de acordo com Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), citado pela Lusa, nesta sexta-feira, meia dúzia de concelhos do Litoral Norte de Portugal Continental apresentam risco máximo de incêndio.Os concelhos com risco máximo de incêndio são: Ponte da Barca e Caminha (Viana do Castelo), Gondomar e Valongo (Porto), Castelo de Paiva e Arouca (Aveiro).

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo. O cálculo é feito com base nos valores observados às 13h00 de cada dia da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

Acompanhe o trabalho especial do PÚBLICO sobre incêndios e florestas e consulte as previsões do site de meteorologia do PÚBLICO.