Para o BCE ainda é cedo para “declarar vitória” contra a inflação

Inflação nos 2% só no final de 2025, diz membro da comissão executiva. Empresas continuam relutantes em baixar preços e riscos de clima e tensão geopolítica podem gerar novos choques.

Foto
Isabel Schnabel, membro da comissão executiva do BCE, foi a convidada principal dos 35 anos da Porto Business School Reuters/Ralph Orlowski (arquivo)
Ouça este artigo
00:00
09:02

"Não podemos dar nada por garantido." Uma ideia que se poderia aplicar a quase tudo na vida parece ter-se tornado o mantra do momento para o Banco Central Europeu (BCE), cuja comissão executiva alerta contra os riscos de a inflação, mesmo depois de uma notável descida de quase oito pontos percentuais em apenas um ano, voltar a subir ou persistir em níveis altos durante muito tempo. "Ainda não podemos declarar vitória", contra a inflação, declarou Isabel Schnabel, um dos cinco membros da comissão executiva do BCE, na noite de quinta-feira, no Porto, onde aproveitou o convite para a comemoração dos 35 anos da Porto Business School (PBS) para explicar por que razão "não podemos dar nada por garantido".

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Comentar