“Fazemos filmes sobre a opressão para que os opressores recuperem o bom senso”

III Guerra Mundial, de Houman Seyyedi, que aqui entrevistamos, chegou às salas. Do Irão, com crueldade, angústia e medo.

Foto
Houman Seyyedi no cenário do “filme dentro do filme” em III Guerra Mundial

Entre o sado masoquismo de A Última Ordem/The Last Command (1928), mergulho de Josef von Sternberg nos abismos humanos, e uma farsa de Mel Brooks, encontra-se aí algures o tom de III Guerra Mundial, de Houman Seyyedi, que chega esta semana às salas.

Sugerir correcção
Comentar