Bloco insiste que as contas do Governo sobre a subida das pensões são um “truque”

Os cálculos do Governo sobre o impacto de actualizar automaticamente as pensões em 2023 mantêm a estimativa da receita da Segurança Social prevista para esse ano no Orçamento do Estado de 2022. Catarina Martins insiste que se trata de um “truque”, já depois de Ana Mendes Godinho ter dito que “as contas são transparentes”.

Foto
Catarina Martins é coordenadora do Bloco de Esquerda Daniel Rocha

As contas que o Governo utilizou para justificar a decisão de não aplicar a fórmula de actualização das pensões em 2023, mostram que o saldo da Segurança Social ficaria em níveis negativos caso se aumentasse o valor das pensões entre 7,1% a 8% no próximo ano, como dita a lei. Mas as projecções do executivo não prevêem uma subida da receita da Segurança Social nesse mesmo ano face àquela já estimada no relatório do Orçamento do Estado de Abril e que, segundo o Jornal de Negócios, deverá chegar aos 1.300 milhões de euros. Para o Bloco de Esquerda (BE) trata-se de “outro truque”.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários