A história oculta e racista por detrás das bundas brasileiras

No final do século XIX, a visão para melhorar os corpos das mulheres envolvia remodelá-los de acordo com uma visão de beleza da elite branca. Esse pensamento ajudou a criar uma indústria de cirurgia plástica no Brasil que tinha a anti-negritude embutida no seu âmago.

Foto
Kim Kardashian é o protótipo do corpo em forma de ampulheta que a cirurgia BBL promove Reuters/EDUARDO MUNOZ

O mês passado, uma notícia da Bloomberg classificou o popular lifting do rabo brasileiro (o chamado, em inglês “Brazilian Butt Lift” - BBL), como “uma das cirurgias cosméticas mais mortais”, dando eco a notícias semelhantes publicadas no New York Times e no britânico Guardian, nos últimos dois anos.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários