David Doutel e Vasco Sá são homens (da animação) do Norte

Acabam de vencer o Prémio do público em Vila do Conde com a sua quarta curta, Garrano. Um filme que confirma o universo pessoal e intransmissível da dupla David Doutel/Vasco Sá, um dos universos mais consistentes no cinema (de qualquer tipo) feito em Portugal.

Foto

Este tem sido um ano de ouro para a animação feita em Portugal. Ice Merchants, de João Gonzalez, saiu premiado da Semana da Crítica de Cannes e do Curtas Vila do Conde; O Homem do Lixo, de Laura Gonçalves, venceu o croata Animafest; Annecy recebeu as primeiras longas-metragens de João Miguel Ribeiro e Nuno Beato. Confirmando que este “parente pobre” do cinema de imagem real tem encontrado espaço e repercussão nos festivais internacionais, isto é tanto mais significativo quanto o circuito de festivais ser em muitos casos a única saída para o formato.

Sugerir correcção
Comentar