AR demora dois meses a divulgar registo de interesses dos deputados e governantes

Políticos e altos cargos públicos têm que declarar o património, interesses e incompatibilidades no prazo de 60 dias após assumirem cargo. Obrigação de pertença a associações (como a maçonaria) levantou dúvidas nos deputados.

Foto
Deputados devem aprovar esta quarta-feira relatório sobre registo de interesses Nuno Ferreira Santos

Depois de em 2019 o Parlamento ter demorado três meses e meio a começar a disponibilizar online os registos de interesses dos deputados e dos membros do Governo e até ter havido contestação pública contra essa demora, o grupo de trabalho do registo de interesses voltou desta vez a ultrapassar os prazos que se tinha imposto para tornar pública a informação. O grupo que analisa as declarações dos deputados e dos governantes, coordenado pelo socialista Pedro Delgado Alves, tinha previsto, logo em meados de Maio, que iria disponibilizar os registos de interesse no máximo até ao dia 15 de Junho, mas até agora a informação continua sem estar na página do Parlamento.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários