Líderes europeus deixam cair as reservas e abrem definitivamente a porta à Ucrânia

Antes do Conselho Europeu, os 27 vão reunir com os líderes dos Balcãs Ocidentais, para afastar a ideia de um tratamento preferencial dos países ameaçados pela Rússia no processo de alargamento.

Foto
Presidente da Comissão Europeia recomenda aprovação do pedido de adesão da Ucrânia Reuters/YVES HERMAN

Já não há nenhum elemento de suspense, nem qualquer hipótese de reviravolta dramática, capaz de alterar o guião escrito para o Conselho Europeu desta quinta e sexta-feiras, em Bruxelas. Os chefes de Estado e governo da União Europeia, que no rescaldo da invasão da Ucrânia pela Rússia não escondiam as suas reservas sobre o pedido de adesão apresentado pelo Presidente Volodymyr Zelensky, nem a sua relutância em discutir a integração no bloco de um país em guerra, vão confirmar a Kiev o estatuto de país candidato — e esvaziar definitivamente de sentido a argumentação de Moscovo para justificar a sua agressão.

Sugerir correcção
Ler 53 comentários