TAP reduz corte de salário aos pilotos sem acordo e sobe tecto de isenção a todos

Cortes salariais de 25% ao nível da empresa passam a ser aplicados a partir dos 1410 euros em vez dos actuais 1330, com retroactivos a Janeiro. No caso dos pilotos, corte passa de 45% para 35% mas implica mudanças que foram aplicadas de forma unilateral.

Foto
TAP voltou a ser controlada pelo Estado Reuters/PEDRO NUNES

A TAP anunciou aos trabalhadores mudanças nos cortes salariais que estão em vigor, o que, a nível geral, implica que o corte de 25% seja aplicado a partir dos 1410 euros em vez dos actuais 1330. Esta decisão, de acordo com o comunicado interno enviado pela comissão executiva liderada por Christine Ourmières-Widener, terá efeitos retroactivos a Janeiro deste ano, e procura ir ao encontro das recentes reivindicações dos trabalhadores. No comunicado refere-se também que “são ainda possíveis reduções mais significativas dos cortes, mas a produtividade e a flexibilidade em troca são essenciais”.

Sugerir correcção
Ler 11 comentários