Pedro Burmester: “A missão da Casa da Música está em perigo”

O pianista, e primeiro director da Casa, quer que esta “volte a abrir-se a mais públicos e mais músicas”, e avisa que “é urgente uma renovação da direcção artístíca”.

Foto
Pedro Burmester foi um dos ideólogos da Casa da Música, e o seu primeiro director artístico Nelson Garrido

Em Julho de 1998, o pianista Pedro Burmester juntou-se à comissão instaladora da Porto 2001 como responsável pelo pelouro da música, tendo depois assumido a direcção do projecto da Casa da Música, que só veio a concretizar-se plenamente em 2005, quando o icónico edifício de Rem Koolhaas abriu as portas. Em 2009, achando que já tinha cumprido o seu papel, deixou o lugar e foi naturalmente substituído por António Jorge Pacheco, seu braço-direito desde os tempos da Capital Europeia da Cultura. Uma opção que o pianista apoiou, mas que agora, 13 anos depois, esgotou “o prazo de validade”.

Sugerir correcção
Ler 28 comentários