António Costa disse o que devia na visita a Kiev

Se países pequenos como a Croácia ou Portugal demoraram oito e nove anos a aderir, e se há uma lista de espera com anos, acreditar que o processo ucraniano de adesão à UE pode ser mais célere é fantasia.

O primeiro-ministro entrou na galeria dos chefes de Estado e de Governo que fizeram questão de visitar Kiev quando rebentamentos de bombas continuam a traumatizar o Leste da Ucrânia. Para alguns, é uma encenação para ficar na fotografia. Para a maioria esmagadora dos portugueses que partilham o sofrimento do povo ucraniano, foi uma homenagem que dignifica o país.

Sugerir correcção
Ler 19 comentários