Novo modelo monitoriza sismos de grande magnitude à velocidade da luz

Através de modelos de deep learning e com a ajuda da gravidade, uma equipa de cientistas quer detectar, em menos de um minuto, sismos com magnitude superior a 8,3 graus na escala de Richter.

Foto
Os dados do terramoto Tohoku-Oki, que atingiu o Japão em 2011, foram usados para testar o novo modelo Reuters

Os alertas precoces em caso de sismo são essenciais para minimizar danos e salvar vidas –​ e quanto mais cedo, melhor. Uma equipa liderada por Andrea Licciardi, da Universidade Côte d’Azur (França), publica agora um modelo de deep learning capaz de detectar precocemente sismos de grande impacto e em menos de um minuto depois do ponto de ruptura inicial na crosta terrestre (o hipocentro). Como? Através da gravidade (e sim, à velocidade da luz).

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Comentar